Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

quarta-feira, 14 de março de 2012

Cigarros com sabor


O Fato:



Souza Cruz lamenta decisão sobre cigarros com sabor


A Souza Cruz lamentou, em comunicado à imprensa, a decisão ontem da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de restringir o uso de ingredientes nos produtos derivados de tabaco. "A Anvisa demonstrou não ter levado em conta os argumentos da cadeia produtiva do setor", informa a empresa.
 "Acreditamos que as autoridades locais no Brasil devem tratar o assunto com mais profundidade como o FDA, nos Estados Unidos, que está analisando proposta semelhante através de uma Câmara de Estudos técnicos estabelecido para esta finalidade", diz a Souza Cruz.
De acordo com a empresa, medidas restritivas como as apresentadas pela Anvisa ampliariam a participação do mercado ilegal de cigarros, que implicaria em riscos ao consumidor uma vez que esses produtos não passam por fiscalização ou registro nos órgãos sanitários. "Hoje, o comércio ilegal responde por 30% no mercado brasileiro e sonega o pagamento de cerca de R$ 3 bilhões de impostos por ano ao Brasil", afirma a Souza Cruz no comunicado, ressaltando que irá se pronunciar com mais detalhes sobre a decisão da Anvisa assim que tiver acesso aos termos da resolução.
Fonte: Diário do Grande ABC


A Opinião:
Não sei o que é mais impressionante, a ignorância dos fumantes ou a cara de pau das empresas produtoras de cigarro.
Como a maioria das pessoas sabe, o cigarro é um produto comprovadamente nocivo à saúde (como muitos outros, diga-se de passagem) e as empresas produtoras estão querendo ampliar o número de consumidores jovens tornando atraentes através de diferentes sabores e cores.
O pior é a ameaça camuflada de continuar vendendo o produto mesmo sem aprovação da Anvisa e culpar o mercado ilegal de cigarros, além de argumentarem que o Brasil perderia muito dinheiro pois arrecadaríamos menos impostos. 
Desculpem, mas a vida tem mais valor que o dinheiro e o único sabor que o cigarro possui é a morte.



Nenhum comentário:

Postar um comentário