Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Homem inseto


Chiquinho Scarpa pretende enterrar o seu carro favorito

O empresário Chiquinho Scarpa quer enterrar um Bentley Continental no quintal de sua mansão, nos Jardins, em São Paulo. O anúncio do enterro foi feito na página de Scarpa no Facebook, na segunda (16/09) e "confirmado" nesta terça-feira (17/09).
Nesta terça, ele postou a foto de um buraco, onde diz que vai enterrar o carro. "Para quem está duvidando, ontem mesmo já comecei a fazer o buraco no jardim para enterrar meu Bentley! Até o fim da semana eu enterro ele!", disse. Um Bentley novo - atualmente, a versão comercializada é a Flying Spur - custa entre R$ 925 mil e R$ 1,075 milhão.
Na segunda-feira, Scarpa postou uma foto ao lado de seu veículo, com uma ave de estimação na mão. Na legenda, o anúncio do enterro: “Decidi fazer como os faraós: essa semana vou enterrar meu carro favorito, o Bentley, aqui no jardim de casa!! Enterrar meu tesouro no meu palácio rssss”. A data do enterro não foi informada pelo empresário na rede social.
Segundo Scarpa, a decisão foi tomada após ele assistir a um documentário “muito interessante” sobre os faraós do Egito, que eram enterrados junto com suas riquezas na época do Egito Antigo. “Eles enterravam toda a sua fortuna para ter uma vida confortável ‘do outro lado’!”, disse o empresário na rede social.
Por volta das 11h desta terça-feira, a foto já tinha mais de 1.700 curtidas, 700 compartilhamentos e quase 1 mil comentários. No horário, o empresário ainda não havia sido localizado pelo G1 para comentar o assunto.
Fonte: Folha do Sertão


A Opinião:

Alguns seres humanos são como insetos que são atraídos pela luz, não conseguem ficar longe e o Chiquinho Scarpa é um desses insetos.
Há tempos foi processado pelo príncipe de Mônaco por afirmar ter se relacionado com a princesa Caroline de Mônaco. O processo foi retirado após um pedido de desculpas. Já afirmou ser dono de uma "criação de anões", que alugaria para trabalhar como garçons, e de um escravo pessoal em Marrocos.
Agora após o tempo que ficou afastado dos holofotes, apela para mais uma extravagância. Dessa forma, ofendendo a maioria do povo que sofre com os baixos salários e as injustiças sociais, consegue a exposição de que tanto precisa.
É uma pequena mostra de uma parte da elite idiota e egoísta que habita nosso país. O excêntrico playboy assistiu a um documentário interessante, mas esqueceu de prestar atenção, afinal o faraó é enterrado junto com o tesouro e como seria bom que pessoas como Chiquinho Scarpa fossem enterradas junto com os tesouros acumulados e melhor ainda seria se enterrassem também a ganância e a volúpia da ostentação.
Termino o texto com uma frase muito inteligente dita pelo jogador de futebol Ramirez: "O dinheiro não muda as pessoas, apenas mostra quem elas são."


terça-feira, 17 de setembro de 2013

Educação a distância cresce mais que a presencial


Educação a distância cresce mais que a presencial

A educação a distância (EAD) cresceu mais que a educação presencial de 2011 a 2012. Em um ano, houve um aumento de 12,2% nas matrículas da EAD, enquanto a educação presencial teve um aumento de 3,1%. Apesar do crescimento, o ensino a distância ainda representa 15,8% das matrículas. Os dados são do Censo da Educação Superior de 2012, divulgados hoje (17/09) pelo Ministério da Educação (MEC).
O índice do ensino fora de sala de aula ainda é baixo, segundo o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. "Quando olha para a OCDE [Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico], quase a metade das vagas é a distância. Temos espaço para crescer". Ele ressalta que é preciso garantir a qualidade do ensino. A intenção é ampliar a oferta nas instituições federais. De acordo com o censo, a maior parte das matrículas em EAD está na rede privada (83,7%) e é oferecida por universidades (72,1%). 
No ensino presencial, o ministro destacou o crescimento das matrículas nos cursos tecnológicos, que aumentaram 8,5% de 2011 a 2012. Segundo Mercadante, o crescimento foi significativo, embora os cursos concentrem apenas 13,5% das matrículas. As matrículas de bacharelado cresceram 4,6% e representam 67,1% do total, enquanto nos cursos de licenciatura, o crescimento foi 0,8% - 19,5% das matrículas são em licenciatura.
Quanto ao turno, em 2012, mais de 63% dos estudantes presenciais de graduação estudavam à noite. Na rede privada, 73% das matrículas é nesse turno. Na rede federal, a maior parte das matrículas, 70% é no turno diurno. O ministro explica que o ensino noturno é importante para que parcela da população que precisa trabalhar tenha acesso ao ensino superior.
"Temos aumentado a oferta de ensino noturno nas federais também, mas essas instituições mantêm também o diurno", diz. "O ensino diurno permite mais tempo ao estudo. Quem estuda no noturno em geral trabalha durante o dia. No diurno, estuda-se em um turno e trabalha-se no contraturno. Na média, o diurno tem desempenho acadêmico melhor que o noturno".
Os cursos com maior número de alunos no Brasil são administração (833.042), direito (737.271) e pedagogia (602.998). Em seguida vem ciências contábeis (313.174), enfermagem (234.714), engenharia civil (198.326), serviço social (172.979), psicologia (162.280), gestão de pessoal (157.753) e engenharia de produção (129.522).   
O censo aponta que o ensino superior atingiu, no ano passado, 7.037.688 de matrículas na graduação, o que representa crescimento de 4,4% em relação a 2011. O número de calouros foi 2.747.089, um crescimento de novas matrículas de 17,1% em relação a 2011. O número de concluintes teve uma variação menor, 3,3%, passando de 1.016.713 em 2011 para 1.050.413 em 2012.
Fonte: Jornal do Brasil 
A Opinião:
A educação a distância cresce a cada ano. Quais serão os fatores que levam a esse fenômeno? 
Bem, primeiro é importante mostrar sob a lógica do capitalismo que procura reduzir custos com a finalidade de maximizar o lucro. E na educação a distância um professor (ou tutor) pode lecionar para um número muito superior de alunos, assim economiza na mão de obra. Outro fator é a redução de custos operacionais, afinal, sem a obrigatoriedade de manter um espaço físico muito grande, reduz-se bastante os custos com energia, água, pessoal de apoio, material de papelaria, impostos, aluguéis, móveis e equipamentos.
Além disso, é muito importante notar o avanço tecnológico no setor das telecomunicações. Assim, se torna possível a criação dessa grande rede e alcançar locais onde há escassez de escolas e universidades, desde que, é lógico, a internet chegue nessas localidades também. Falar que a educação a distância resolve os problemas de quem mora em áreas isoladas é ignorar que essas áreas, muitas vezes,  não são dotadas de redes de computadores.
Não acho legal colocar a educação a distância em confronto com a educação presencial, acredito que elas se complementam. A educação presencial ajuda a formar o cidadão, uma vez que socializa os indivíduos e a educação a distância oferece um pouco mais de liberdade aos alunos. Complementando será ótimo, não se pode deixar de utilizar as novas tecnologias a favor da educação e não se pode perder o convívio. Rivalizando começamos mal, uma não pode destruir a outra.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Wi-Fi do vizinho


Wi-Fi do vizinho é canal de acesso a web para 7,1 mi de brasileiros, diz estudo


Apesar de ser alvo de contestação na Justiça, o wi-fi do vizinho é a porta de entrada para a internet para 7,1 milhões de brasileiros, de acordo com um levantamento divulgado nesta segunda-feira (16/09) pelo instituto de pesquisas Data Popular.
Para apurar as informações, a consultoria ouviu 2 mil pessoas de cem cidades, espalhadas por todos os Estados e Distrito Federal, em junho de 2013.
A prática é mais amplamente difundida entre internautas da classe média. Considerando apenas as pessoas que se enquadram nessa faixa de renda, 10% afirmaram ter acesso à internet via Wi-Fi do vizinho, enquanto o percentual é de apenas 4% entre as classes alta e baixa.
Segundo o Data Popular, o compartilhamento ocorre sobretudo quando as velocidades dos pacotes de internet são mais elevadas, o que explicaria a baixa presença do recurso entre a classe baixa.
Outra razão, aponta a consultoria, é a maior proximidade entre os vizinhos de classe média, o que faz com que apenas um contrate o serviço e o compartilhe com os outros. Nesse sentido, tem força a visão nessa classe de que a banda larga é um investimento, que eleva o fluxo de informação e amplia as possibilidades de trabalho.
O assunto vem sendo contestado na Justiça. Na última sexta-feira (13/09), o Tribunal Regional Federal da 1ª Região negou um recurso do Ministério Público Federal (MPF) que considerava crime o compartilhamento de sinal de internet.
O MPF argumentava que a prática é uma “atividade de telecomunicação” e repassar a terceiros é exploração clandestina da atividade. Isso infringiria a Lei Geral das Telecomunicações (lei nº9.472/1997), resultando em penas de dois a quatro anos aos infratores, que pode ser aumentada em até 50% caso haja dano a terceiros, além de multa de R$ 10 mil. O TRF, porém, refutou a tese, afirmando que se trata de “serviço de valor adicionado”.
Já na segmentação por idade, os jovens são os que mais utilizam o Wi-Fi do vizinho. Entre os entrevistados entre 16 e 25 anos, 21% disseram fazer o compartilhamento. A quantidade de adeptos cai conforme aumenta a idade: 8% das pessoas entre 26 e 39 anos; 3%, entre os que têm de 40 a 59 anos e nenhuma ocorrência entre internautas maiores de 60 anos.
Fonte: Portal G1



A Breve Opinião:


É ilegal ou apenas imoral? Solidariedade ou crime? Nesse evento é possível notar que para ser global, muitas vezes é necessário uma boa relação no local. 
O capitalismo adora usar diversos artifícios para escravizar os consumidores, mas os capitalistas se revoltam quando os consumidores suavizam as algemas.
Como chamaríamos esse evento? Doação? Sublocação? Enfim, o uso da internet causa dependência e, diante de uma necessidade, o usuário faz de tudo para manter o vício.
Não faço uso do wi-fi dos meus vizinhos, não acho correto, mas ao mesmo tempo não consigo condenar quem use e isso gera uma grande confusão na minha mente. É o nosso mundo louco nos contagiando.

domingo, 15 de setembro de 2013

E o conflito continua na Síria


Síria registra novos ataques após acordo entre EUA e Rússia


A Síria registrou novos ataques em redutos rebeldes de Damasco neste domingo (15/09), um dia após o acordo entre Estados Unidos e Rússia para remover as armas químicas do país. Ataques aéreos, bombardeios e ataques de infantaria no subúrbio de Damasco foram registrados na manhã deste domingo, depois de um recuo após o ataque químico de 21 de agosto, que provocou a ameaça de um ataque norte-americano. De acordo com a agência  Reuters, os ataques teriam sido feitos por aviões de guerra sírios contra redutos rebeldes da capital.
Outro atentado em uma estrada de Idleb deixou ao menos três pessoas mortas, incluindo jornalista que trabalhava para uma revista do governo, informou a agência oficial Sana. O ataque também deixou nove feridos e provocou danos materiais.
Pelo acordo firmado entre Estados Unidos e Rússia, a Síria terá de entregar em uma semana informação sobre seu arsenal de armas químicas para evitar um ataque. Se a Síria não cumprir os procedimentos para eliminar suas armas químicas, a ameaça de uso de força será incluída em uma resolução do Conselho de Segurança da ONU
Ao mesmo tempo em que se registraram os ataques, Damasco comemorou neste domingo o acordo entre Estados Unidos e Rússia para desmantelar o arsenal químico sírio, afirmando que ele "permitiu evitar a guerra", declarou o ministro sírio da Reconciliação, Ali Haidar.
"Nós saudamos este acordo. Por um lado, ajuda os sírios a sair da crise e, por outro, permitiu evitar a guerra contra a Síria ao deixar sem argumentos quem queria desencadeá-la", disse o ministro à agência estatal russa Ria Novosti.
"Este acordo foi possível graças à diplomacia e ao governo russo, é uma vitória para a Síria graças aos nossos amigos russos", disse Haidar.
O presidente Barack Obama disse que ainda poderá lançar ataques se Damasco não seguir o plano de desarmamento de nove meses da ONU desenhado por Washington e Moscou.
Os rebeldes sírios, chamando o foco internacional para o gás venenoso, evitaram comentar se o pacto poderia levar a conversas de paz e disseram que Assad retomou uma ofensiva com armas regulares agora que a ameaça de um ataque aéreo dos Estados Unidos diminuiu.
Fonte: Portal G1
A Opinião:
Desde a Invasão do Iraque pelos Estados Unidos, utilizando o mesmo argumento de agora no possível ataque a Síria, que é visível o "racha" no Conselho de Segurança da ONU. Essa divisão mostra o antagonismo entra o ocidente e o oriente, afinal temos de um lado Estados Unidos, Inglaterra e França e de outro China e Rússia.
Os estadunidenses atacaram o Iraque mesmo diante do veto dos orientais anteriormente, mas, agora, desgastados financeiramente por conta da crise de 2008, militarmente por estarem ocupados com o Iraque e o Afeganistão e principalmente, politicamente, uma vez que a malfadada "Guerra ao terror" gerou uma antipatia mundial em relação a politica externa dos Estados Unidos.
Já a Rússia mostrou força, ao conseguir no mínimo adiar o confronto militar, e conquistou a simpatia da Síria e à reboque das nações que condenam o imperialismo estadunidense.
Nesse evento o que é impressionante é essa "lógica ilógica". O ataque ocorreria por conta do uso de armas químicas que mataram centenas de pessoas, mas o conflito já matou milhares utilizando armas convencionais e continuará matando, principalmente agora que sabem que, em teoria, se não usarem armas químicas, não sofrerão retaliações. E mais, para livrar o povo da Síria dessa ameaça haveria um derramamento de sangue até superior ao visto até o momento.
De fato aquela região precisa de paz, mas é muito difícil ter paz quando muitos interesses conflitantes estão em jogo: petróleo, questões religiosas, estratégicas, étnicas e as inventadas por aqueles "vampiros gananciosos" sedentos por sangue.   

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Por que é tão difícil reagir?



Por que é tão difícil reagir?

Vivemos em um mundo lindo e repleto de momentos felizes e gloriosos, mas, apesar disso, muitos insistem em transformar beleza em feiúra, felicidade em tristeza e glória em desgraça. E o inacreditável é que quando isso acontece, mesmo dotados de razão, dificilmente reagimos.

Vejam um episódio que serve como exemplo dessas pessoas que tornam um mundo um lugar mais difícil para se viver:



No vídeo, já conhecido de grande parte dos internautas, a paciente está se sentindo muito mal e o médico se recusa a se levantar da cadeira para atendê-la. 

Alguns vão pensar o seguinte: "Mas hospital público é assim mesmo..." E esse discurso conformista, construído engenhosamente que dificulta uma ação de um povo que desconhece os próprios direitos e a história.

Esse médico, ao se formar, fez o seguinte juramento: 
"Eu, solenemente, juro consagrar minha vida a serviço da Humanidade. 
Darei como reconhecimento a meus mestres, meu respeito e minha gratidão. 
Praticarei a minha profissão com consciência e dignidade. 
A saúde dos meus pacientes será a minha primeira preocupação. 
Respeitarei os segredos a mim confiados. 
Manterei, a todo custo, no máximo possível, a honra e a tradição da profissão 
médica. 
Meus colegas serão meus irmãos. 
Não permitirei que concepções religiosas, nacionais, raciais, partidárias ou sociais intervenham entre meu dever e meus pacientes. 
Manterei o mais alto respeito pela vida humana, desde sua concepção. Mesmo sob ameaça, não usarei meu conhecimento médico em princípios contrários às leis da natureza. 
Faço estas promessas, solene e livremente, pela minha própria honra"

Após isso começa a trabalhar e aos poucos esse juramento perde o valor. Esse é um dos tipos que se tornou médico "porque dá dinheiro". Possivelmente ao longo da vida foi assim que aprendeu. Assim como ele, tá cheio de canalha por aí e a fórmula muda pouco, mas geralmente é assim...

A competição começa cedo,o cara nasce e se torna o xodó de todos até a chegada do novo bebê da casa. Dentro da própria família começa a disputa por atenção e geralmente os pais os estimulam a ser melhor do que os outros.

A competição se torna ainda mais intensa e interessante no seio escolar. Se destacar diante de tantos. Que desafio! Notas, aprovações, reprovações, diante da pressão aprende a colar e para crescer acha necessário pisar em outros. Encontra pela frente bons e maus professores, e provavelmente se espelha nos maus professores que fazem vista grossa ao seu comportamento torpe desde que corresponda com boas notas, não importam os meios, vale tudo para se dar bem. Assim, o infeliz vai obtendo a "flexibilidade moral" necessária para vencer não importa a que custo.

É importante também estar bem cercado, e um crápula já se une ao seu bando, afinal já se conhecem pelo cheiro. Já tem o advogado que vai livrar ele das acusações e se possível for, ainda incriminar a vítima. O psicólogo que vai mostrar os danos irreversíveis causados por anos de dedicação ao bem comum. O juiz amigo que olha o bolso e não a causa. O intelectual, que vai escrever um longo texto mostrando a injustiça que o canalha sofre. A grande mídia que o transformará em herói e vilão até que surja o novo patife. 

E finalmente o povo que mesmo com razão não reage porque é facilmente manobrável e que assiste a barbaridades como essas entre o futebol e a novela. Para perdoarem a si mesmos são conformistas e seguem com a eterna desculpa de que não conseguem mudar o mundo sozinhos. 

A vocês um recado: Não precisa mudar o mundo, apenas impeça o mundo de mudar você. Faça o que é correto, pense nos outros e não apenas em si. Lutem pelo bem comum. 

Você que batalha constantemente fazendo o que é certo vai ter razão nas suas reivindicações, mas o seu silêncio é o acabamento final de todo aquele processo de formação de canalhas que assolam o nosso mundo.   


quarta-feira, 19 de junho de 2013

Louvem a Copa das Confederações


Nossos agradecimentos

Gostaria de agradecer a Rede Globo e a revista Veja pela história de manipulações da verdade, sendo porta voz da ideologia dos corruptos que estão no poder.
Quero agradecer também aos nossos presidentes eleitos através do voto direto, por se esbaldarem com o dinheiro público e não cumprirem as promessas.
Não poderia me esquecer de agradecer aos participantes do esquema conhecido como "mensalão", por terem vendido a própria dignidade.
Meus queridos partidos políticos, que apoiam o governo em troca de cargos e assim administram o que não conhecem criando "líderes" como Aldo Rebelo, Marcelo Crivella, Renan Calheiros, José Sarney, João Paulo Cunha, Marco Feliciano e tantos outros que não se importam nem um pouco com quem os colocou lá dentro, se preocupando apenas em encher os próprios bolsos e garantir a riqueza da própria prole.
Um agradecimento muito especial aos lobistas, por colocarem panos quentes e ludibriarem o povo toda vez que um escândalo explodia.
Não posso me esquecer de agradecer a FIFA, por tratar o Brasil como um quintal se importando apenas com o dinheiro e esquecendo de analisar a história.
E quero aplaudir de pé quem teve a brilhante ideia de trazer a Copa do Mundo para o Brasil, porque assim poderiam gastar o que tinham e o que não tinham desviando caminhões de dinheiro e usando o que deveria ser usado em benefício da população para impressionar o mundo com uma máscara que cobre o território das cidades sede.
Muito obrigado de coração, porque sem vocês, o povo continuaria apático. Graças a vocês e ao exagero na hora de fazer a população de idiota que nos inflamamos e fomos às ruas. 
E não adiantou nem sucatear a educação e nem colocar as versões politicamente corretas nos livros didáticos, porque os alunos tinham vontade de entender o mundo e os professores lutaram com unhas e dentes para mostrar aos alunos onde estava o erro e o que fazer para melhorar.
Não adiantou sucatear a saúde, porque solidário é o sobrenome do povo brasileiro e os profissionais de saúde trabalham com o coração, não pensando apenas no dinheiro, são dignos!
Não adiantou colocar os policiais em uma sinuca de bico, afinal eles são parte do povo e ficaram entre a cruz e a espada quando surgia a dúvida entre obedecer os patrões e fazer o que é certo. Agora o povo entende que as manifestações pacíficas facilitam o trabalho dos policiais deixando-os com a consciência tranquila, afinal eles olham admirados para o povo que não foge a luta e mantém os empregos porque não podem fazer nada a não ser sorrir.
E por fim, não adianta achar que é apenas por vinte centavos. Embora o nome seja perfeito para o troco que a população está dando nesses canalhas!!  



sexta-feira, 7 de junho de 2013

Governo Obama monitora registros telefônicos


O Fato:


  • Governo Obama defende coleta de registros telefônicos

    O governo dos Estados Unidos vem coletando, de forma secreta, registros telefônicos de milhões de clientes norte-americanos da companhia Verizon sob uma ordem judicial secreta, segundo a presidente do Comitê de Inteligência do Senado, Dianne Feinstein. O governo Obama defendeu a necessidade da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) de coletar registros telefônicos dos cidadãos norte-americanos. 
    A democrata Feinstein disse nesta quinta-feira que a ordem judicial secreta para a coleta dos registros telefônicos é uma renovação de três meses para uma prática já em curso. Ela falou com os jornalistas durante uma coletiva de imprensa. 
    A coleta de registros telefônicos no país acontece há anos e era parte fundamental do programa de vigilância do governo de George W. Bush, informou um funcionário do governo nesta quinta-feira. A divulgação da coleta dos registros é a mais recente controvérsia a atingir o governo Obama. 
    O presidente também é alvo de questionamentos sobre as ações da receita federal em relação a grupos conservadores, o confisco dos registros telefônicos de um jornalista numa investigação sobre quem vazou informações para a mídia e a forma como o governo tratou o ataque terrorista contra a embaixada dos Estados Unidos em Benghazi, na Líbia, que resultou na morte de quatro norte-americanos.
    A Casa Branca não fez comentários formais sobre o assunto. O procurador-geral Eric Holder evitou perguntas sobre a questão durante apresentação perante um subcomitê do Senado. Ele sugeriu que a questão seja discutida uma sessão secreta. 
    A ordem foi emitida pelo Tribunal de Vigilância de Inteligência Estrangeira em 25 de abril e vigora até 19 de julho, informou o jornal britânico The Guardian. Pela ordem a Verizon, uma das maiores empresas de telecomunicações dos Estados Unidos é obrigada a fornecer "diariamente" à NSA informações sobre todas as ligações fixas e móveis dos sistemas da empresa, tanto dentro do território norte-americano quando entre os Estados Unidos e outros países. 
    O documento mostra, pela primeira vez, que no governo Obama os registros de comunicação de milhões de cidadãos norte-americanos são coletados indiscriminadamente e em massa, independentemente de as pessoas serem suspeitas ou não de algum delito.
    Fonte: O diário



    A Opinião:

    Essa é a maior democracia do planeta? Vigilância total! Controle total! Paranoia total!
    Há tempos que a política interna e externa estadunidense é pautada pela cultura do medo. Sempre precisam de um inimigo externo comum para unificar a população internamente e justificar ações injustificáveis. 
    No passado o grande vilão era o comunista, basta analisar os grandes vilões nas telas de cinema da década de 1980: máfia russa, máfia chinesa, vietnamitas ou ainda grupos que viviam além da cortina de ferro. 
    Nos últimos anos lutam incessantemente contra o terrorismo, mas, contraditoriamente, a arma utilizada para isso é o terror (principalmente o psicológico). Apresentam um mundo onde precisam lutar contra o mal que pode assolar a humanidade: seja uma gripe e suas inúmeras mutações (o curioso é que não tratam a causa dessas mutações, apenas remediam numa bela forma de aquecer o mercado farmacêutico), um grupo terrorista (que há tempos não se manifesta, para a sorte do mundo, mas o fantasma serve para aquecer o mercado de artigos voltados para a segurança), o tráfico de drogas (do qual são grandes consumidores, alimentando esse tráfico e ainda lucrando com a venda de armas) ou, agora, a luta contra a obesidade (a pergunta é: será que vão bater de frente com a poderosa indústria alimentícia ou vão culpar apenas os maus hábitos da população?)
    Alguém está surpreso em saber que os registros telefônicos são monitorados? Se a resposta for positiva espero que não seja tão ingênuo ou ingênua a ponto de acreditar que a sua internet  não é monitorada.
    Liberdade de expressão, mas uma liberdade vigiada. Democráticos, mas fazendo uso do poder unilateralmente. Yes we can!

domingo, 2 de junho de 2013

Hollywood? Ainda não!




Hollywood? Ainda não! 

___________________________________________
Superando-se a cada dia, a indústria cinematográfica de nosso país ainda enfrenta muitas dificuldades. Mas estamos chegando lá!
___________________________________________


Há quem ainda torça o nariz quando falamos sobre o Cinema Brasileiro. Pouquíssimo tempo atrás, ainda que visitássemos as mais completas salas de exibição do país, dificilmente encontraríamos um filme que sustentasse o nome do Brasil entre as grandes produções americanas, que batem recorde de audiência aqui.
Nos últimos anos, contudo, temos evoluído bastante nesse sentido. Sim, ainda importamos dezenas (talvez centenas) de produções hollywoodianas por ano, mas começamos a desenvolver Longa Metragens que têm chamado a atenção dos brasileiros.
Esses filmes estão longe de serem chamados de superproduções – geralmente são comédias, ou mostram características próprias do nosso país, como o Carnaval, o Futebol, a vida nas Favelas, e etc. –, mas demonstram que já há um olhar para o cinema nacional.
Tivemos nosso primeiro filme em 3D, o “Brasil Animado”, é verdade. Mas o destaque está mesmo em outras tramas, como “Se Eu Fosse Você” 1 e 2, “Cilada.com” e “Até Que a Sorte nos Separe”, que bateram recorde de bilheteria graças ao gosto dos brasileiros por comédia. Isso, é claro, sem falar da divulgação massiva na mídia.
Filmes como “Rio”, que mostram a realidade brasileira, ainda são produzidos lá fora, pois não temos tecnologia para isso.
Tão grande é o déficit no cinema que exportamos talentosos profissionais para outros países. Carlos Saldanha (Aquele mesmo de “A Era do Gelo” e de “Rio”) poderia ter feito muito sucesso aqui, no Brasil, se tivesse espaço para isso.
 Como se não bastasse a falta de tecnologia, ainda temos o olhar reprovador dos brasileiros quanto a filmes nacionais. Não culpo essas pessoas pelos olhares, apenas peço que olhem novamente. Um novo horizonte se abre diante de nós, com produções como “Xingu”, ou mais recentemente o filme “Somos Tão Jovens”, ambos com fortes características biográficas, mas bem diferentes do verdadeiro açougue que tínhamos antes.
Talento não falta no Brasil. Temas, menos ainda. O que falta é espaço para que essas duas características se desenvolvam completamente. E um dia, ao invés de narizes torcidos, talvez tenhamos lágrimas nos olhos (DE ALEGRIA, É CLARO) ao ver um filme nacional.

*Por Kaio Rodrigues




sexta-feira, 31 de maio de 2013

Como a extinção de pássaros coloca toda a Mata Atlântica em risco


O Fato:

Como a extinção de pássaros coloca toda a Mata Atlântica em risco

O que acontece quando uma espécie de pássaro desaparece de uma área de floresta? Um estudo publicado nesta sexta-feira (31/05) na revista Science mostra que, além de perdermos em biodiversidade e em beleza, colocamos em risco a própria reprodução da floresta.
O estudo foi conduzido por vários pesquisadores internacionais e liderado por Mauro Galetti, da Universidade Estadual Paulista, em São Paulo. Os pesquisadores analisaram sementes de palmeiras-juçara em 22 locais diferentes de remanescentes da Mata Atlântica. Algumas dessas áreas estão fragmentadas, resultado de desmatamento antigo, da época da implantação dos cafezais no século XIX. Nessas áreas, os pássaros de bico grande, como tucanos, praticamente já desapareceram. Outras áreas ainda têm a floresta bem preservada e conta com uma populações de aves no local.
O estudo mostra que, nos locais onde os pássaros já desapareceram, o tamanho das sementes mudou. As sementes das palmeiras-juçara ficaram menores, mais fracas e com menor capacidade de germinação. Além disso, elas não ficaram pequenas o suficiente para servir de alimento aos pássaros de bico pequeno. O resultado é que, sem os tucanos para espalhar as sementes, a reprodução das palmeiras fica comprometida.
Segundo Galetti, os resultados mostram que a ação humana pode desencadear mudanças evolucionárias em populações naturais. Foi a interferência do homem, ao desmatar a Mata Atlântica, que reduziu a população de pássaros nos remanescentes de florestas. O impacto dessa mudança é sentido por outras espécies, que tentam se adaptar – mas nem sempre com sucesso, correndo o risco de extinção. Para piorar, a situação da palmeira-juçara já não é a das melhores. A palmeira está ameaçada pela extração ilegal de palmito.
Fonte: Blog do Planeta da Revista Época. Texto de Bruno Calixto


A Opinião:

Pior do que os danos que causamos à natureza é o fato de fazermos isso de maneira consciente. Essa consciência que nos mostra inclusive que destruindo o planeta estamos também em um processo de autodestruição.
Os avisos não começaram ontem e muito menos são pautados apenas em emoção. A razão fala muito alto, muitos testes e comprovações científicas estão à disposição de qualquer ser humano em praticamente todos os países do mundo.
Na natureza a luta pela sobrevivência é cruel, há confrontos violentos entre seres da mesma espécie sim, porém esses confrontos possuem uma escala reduzida e uma vez que o vencedor alcança um objetivo, a paz reina até que o ciclo recomece.
Entre os seres humanos a luta pela sobrevivência não é apenas cruel. É surreal!!! Muitos enxergam os outros como obstáculos ao sucesso, como uma escada onde é necessário pisar para subir.  Os confrontos possuem uma escala planetária e envolvem várias outras espécies de maneira direta e indireta, a biosfera sofre com a disputa travada pelos humanos na busca pelo poder. E o pior, quando o objetivo é alcançado, tem início um vale tudo para evitar que um novo ciclo recomece. Dessa forma, não basta chegar no topo, é necessário eliminar completamente todos os concorrentes.
Capitalismo ou socialismo, não importa!!! O problema não é o sistema e sim os seres humanos que tornam qualquer sistema infernal. Resta agora continuar lutando pela conscientização e torcendo para que sejamos menos humanos e mais animais.

terça-feira, 21 de maio de 2013

A guerra da medicina antienvelhecimento

O Fato:


A batalha da medicina antienvelhecimento

A prática foi recentemente proibida no Brasil por falta de comprovação científica mas, para seus adeptos, é apenas uma questão de tempo até que novas pesquisas atestem sua eficácia

Desde a publicação de uma resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) que proíbe a prática da chamada medicina antienvelhecimento no Brasil, no dia 19 de outubro de 2012, a discussão sobre a terapia de reposição hormonal ganhou força. Está vetada a prescrição de qualquer tipo de hormônio ou outras substâncias com finalidade de reduzir os efeitos do envelhecimento.  A terapia hormonal é permitida apenas em caso de deficiência comprovada da substância e os médicos que não seguirem a resolução estão sujeitos a punições. De acordo com o relatório do CFM, uma revisão dos estudos publicados sobre o assunto nos últimos seis anos concluiu que “encontram-se evidências claras de riscos e prejuízos à saúde e nenhuma ou pouca evidência de benefícios para a capacidade funcional, qualidade de vida, cognição e para prevenir doenças crônicas associadas à idade”.
A resolução causou descontentamento em parte da classe médica, seja praticante ou simpatizante dessa técnica. Foi nesse cenário que o médico americano Jeffry Life, ícone da medicina antienvelhecimento, voltou ao Brasil promover um evento sobre o assunto, no dia 21 de outubro de 2012, em um luxuoso hotel de São Paulo. 
História de vida - Aos 59 anos, Dr. Life tinha problemas cardíacos e estava acima do peso. A mudança em sua vida teve início quando ele resolveu participar de um concurso chamado Body for Life, destinado a pessoas que desejavam transformar seu corpo e estilo de vida em apenas 12 semanas. Ele entrou em uma dieta rigorosa e num elaborado programa de exercícios e, em 1998, aos 60 anos, se tornou o vencedor do concurso.
Satisfeito com a mudança em seu estilo de vida, o médico continuou a rotina de dieta e exercícios, mas aos 63 anos, percebeu que os efeitos alcançados já não eram os mesmos. Jeffry decidiu então adicionar um tratamento com suplementação hormonal a sua rotina e, segundo ele, os resultados foram ainda melhores.
Life se tornou uma espécie de ícone do antienvelhecimento. Suas fotos de "antes e depois", sem camisa, aos 59 anos e, atualmente, aos 74, aparecem em diversos programas de televisão e matérias de jornal. "Eu sinto que me tornei um exemplo vivo do que os homens podem fazer para manter a qualidade de vida, evitar doenças. Considero isso uma grande responsabilidade, porque impacta na saúde e bem estar de milhões de pessoas nos Estados Unidos e outros países, como o Brasil, apenas por mostrar às pessoas o que eu posso fazer, por ser um exemplo", disse Life ao site de VEJA.
Evidências científicas — Nos Estados Unidos, a medicina anti-aging, como é chamada, também não é reconhecida pelo American Board of Medical Specialties (Conselho Americano de Especialidades Médicas, organização sem fins lucrativos que ajuda a desenvolver e implementar parâmetros para avaliação de especialistas), mas a regulamentação da prática fica a cargo de cada estado, como é comum no país. No Brasil, a resolução do CFM e a alegação de falta de evidências científicas é contestada por adeptos da prática. O próprio Dr. Life, quando questionado sobre quais estudos comprovam a eficácia da terapia hormonal, não hesita em mostrar a extensa bibliografia ao final de seu livro, The Life Plan. A maior parte dos estudos citados, porém, foram realizados em um número reduzido de pessoas e publicados em periódicos de menor impacto.
Um dos estudos citados por Life, publicado em 1992 no periódico Journal of Obesity and Related Metabolic Disorders, foi realizado apenas com 23 homens obesos de meia-idade. Metade deles foi tratada com testosterona e os demais com placebo. Os resultados encontrados no grupo que utilizou testosterona foram bons: houve redução da gordura abdominal, dos níveis de açúcar no sangue, da pressão arterial e do colesterol. O estudo também relatou um pequeno aumento no volume da próstata dos participantes, mas os níveis de antígeno protático específico (PSA, considerado um marcador tumoral) não sofreram alterações.
Já um estudo dos pesquisadores Nicole Nigro e Mirjam Christ-Crain, publicado este ano no periódico Swiss Medical Weekly, concluiu que o uso de testosterona em idosos pode trazer benefícios como o aumento de massa muscular e densidade óssea, mas outros efeitos, como força muscular e aumento da qualidade de vida, ainda apresentam dados contraditórios. Os autores afirmam que mais estudos são necessários, uma vez que nem mesmo sobre os riscos há um consenso, e por enquanto a terapia hormonal com testosterona deve ser restrita àqueles que apresentam deficiência do hormônio.
Nem tão distantes assim - Mesmo em um assunto controverso como a medicina antienvelhecimento, parte dos argumentos tanto dos médicos que são contra e quanto dos que são a favor de tal prática coincidem em muitos pontos.
O primeiro deles tem relação com o próprio nome da prática. "Não é antienvelhecimento, é envelhecimento saudável", defende Life. Edson Peracchi, presidente da Academia Brasileira de Medicina Antienvelhecimento, compartilha a visão de Jeffry: "O termo medicina antienvelhecimento dá a impressão de que os médicos tem o poder de parar o relógio e fazer as pessoas voltarem no tempo. Isso não existe. O que existe é o seguinte: a pessoa pode envelhecer com doença ou envelhecer com saúde." A prática também tem sido chamada de age management medicine (medicina de gerenciamento do envelhecimento) nos Estados Unidos. 
O segundo ponto em comum se refere à realização de exercícios físicos e alimentação adequada. Quando questionado sobre qual a parte mais importante da medicina antienvelhecimento, Jeffry Life não tem dúvidas: "Faça exercícios de forma inteligente e tenha uma alimentação saudável, o que eu chamo de 'alimentação limpa'. Isso é mais importante do que os hormônios."  Ruth Clapauch, diretora da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, tem restrições em relação a terapia antienvelhecimento. "Não há nada que possa retardar o envelhecimento, o que você pode fazer é ter o envelhecimento o mais saudável possível. E o que a gente sabe é que dieta e atividade física são práticas essenciais que levam à promoção da saúde."
Terapia hormonal — O principal causador de divergências a respeito da medicina antienvelhecimento é o uso da terapia hormonal. A resolução do Conselho Federal de Medicina deixa claro que a terapia hormonal é um tratamento reconhecido, mas só deve ser utilizado quando há uma deficiência comprovada no paciente e que acarreta sintomas para ele. É na interpretação do que vem a ser "deficiência" e "sintomas" que recai a grande dissidência entre os dois lados.
Para Ruth Clapauch, a terapia hormonal é útil em casos de deficiência, ou seja, ausência incomum da substância. Quanto utilizada em jovens, ela pode restaurar todas as características de uma condição hormonal normal. "No idoso existem outros fatores, não é só a reposição que vai anular todas as consequências. Existe uma diminuição da função cardíaca, da função renal, artrofia muscular, diminuição da massa óssea, as articulações vão ficando mais rígidas. Em uma pessoa idosa [a reposição hormonal] não vai ter o mesmo efeito do que num organismo jovem", diz Ruth. Ela explica que um nível normal de testosterona é aquele que fica dentro de uma faixa que vai de em torno de 220 até 800 nanogramas por decilitro de sangue, com pequenas variações dependendo do laboratório. Isso significa que, mesmo que um indivíduo sofra uma redução nos níveis de testoterona com o passar dos anos, desde que ele continue acima do valor mínimo, ele não é considerado deficiente.
Com o passar dos anos, os níveis de hormônio presentes no organismo vão sendo reduzidos. De acordo com Ruth, uma das hipóteses para explicar essa redução seria a necessidade dos níveis hormonais acompanharem a desaceleração do metabolismo que ocorre com o envelhecimento, de modo que o organismo teria dificuldades de lidar com a mesma quantidade de hormônios que tinha antes.
Do ponto de vista da medicina antienvelhecimento, porém, essa redução de níveis hormonais não deve ser encarada com naturalidade. "Um homem de 70 anos deveria ter um nível de testosterona de um homem de 35, 40 anos. A razão é que isso melhora sua saúde, reduz os riscos de câncer, até câncer de próstata, reduz os riscos de ataque cardíaco, derrame, diabetes e outras doenças. Nós sabemos hoje que homens com níveis baixos de testosterona têm baixa qualidade de vida, perdem massa muscular e força e vão custar para a sociedade mais dinheiro do que se nós cuidarmos deles e colocarmos seus níveis hormonais onde devem estar para pessoas mais novas e saudáveis", afirma Jeffry Life.
Riscos x benefícios — Os pontos em comum e variações de interpretação vão chegando ao fim quando o assunto são os riscos e os benefícios da utilização de hormônios. Enquanto diversos médicos apontam para os riscos dessa prática, seus adeptos afirmam que eles podem ser controlados quando o acompanhamento adequado é realizado. "Existem riscos, sim. E eles devem ser monitorados muito de perto, por meio de acompanhamento médico, exames de rotina periódicos. Mas hormônio não é um bicho de sete cabeças, não é mais um mistério, já se tem o domínio científico sobre as vantagens e as desvantagens dele", diz Edson Peracchi. 
Para a endocrinologista Ruth Clapauch, a testosterona, hormônio principalmente masculino mas também presente nas mulheres, quanto utilizada em indivíduos que não apresentam deficiência, eleva o risco de câncer de próstata, aumento de glóbulos vermelhos e tumores do fígado (se administrado por via oral).
O mesmo ocorre com o hormônio do crescimento, que pode elevar os riscos do aparecimento de diabetes, doenças articulares e até alguns tipos de câncer. Jeffry Life explica que o uso do hormônio do crescimento é bastante regulamentado pelas autoridades americanas, mas pode ser utilizado depois que o paciente é submetido a alguns testes que comprovam a necessidade do hormônio.
Menopausa — O tratamento com hormônios, indicado para algumas mulheres na menopausa, é um capítulo à parte na discussão da terapia hormonal. Ela não faz parte das práticas vetadas pelo CFM, pois sua finalidade principal não é o antienvelhecimento. "Nesse caso, trata-se de um problema de saúde, causado pela deficiência de um hormônio que não só está em falta, mas também está causando sintomas", afirma Salo Buksman, diretor da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Ele explica que se for realizada uma medição hormonal em mulheres na menopausa, todas apresentarão níveis baixos mas, mesmo assim, nem todas são indicadas para o tratamento. 
"Tem que haver sintomas muito sérios, que justifiquem o risco dela desenvolver essas doenças que são provocadas pela ingestão do hormônio. É preciso pesar o risco, pesar o benefício e ver se vale a pena. É bem diferente de dar hormônios para qualquer mulher, mesmo que ela não tenha sintoma nenhum de menopausa. Seria expô-la a riscos desnecessariamente", diz Buksman. 
Os principais sintomas ligados à menopausa são ondas de calor, ressecamento vaginal, incontinência urinária e até osteopenia (um caso mais leve de osteoporose). Além disso, a terapia hormonal só pode ser indicada para pacientes que não apresentam contraindicações: histórico pessoal de trombose e histórico pessoal ou de pelo menos dois parentes próximos de câncer relacionado a hormônios (mama, endométrio e ovários). "Se não tiver contraindicação ela é elegível para fazer a terapia hormonal, mesmo assim acompanhada muito de perto pelo ginecologista, com exames bem frequentes", afirma Buksman.
Outro ponto importante desse tipo de tratamento é o momento de início. A reposição hormonal deve começar a ser feita no início da menopausa, e de seus sintomas, que ocorre por volta dos 50 anos. "Se a mulher começou o tratamento no inicio da menopausa, ela pode continuar após os 60 anos, mas não é uma terapia para ser feita a partir da idade idosa. Trabalhos atuais mostram que esse início em torno dos 50 anos é fundamental", diz Ruth Caplauch
Bioidênticos – A resolução do Conselho Federal de Medicina também se refere aos hormônios bioidênticos. A prescrição desses hormônios com finalidade antienvelhecimento fica proibida, de acordo com o documento, por falta de evidências que comprovem sua eficácia.
O termo "bioidêntico" se refere ao fato de que esses hormônios têm a constituição química exatamente igual ou o mais próximo possível aos hormônios que o organismo produz. "O estradiol, por exemplo, é um hormônio produzido pelo ovário. Ele é fabricado por indústrias farmacêuticas há muitos anos e sua estrutura química é idêntica ao feito pelo ovário. A versão produzida pela natureza mais próxima possível do estradiol é um fitoestrogênio denominado isoflavona, encontrado em diversas espécies vegetais, principalmente a soja. Ela tem uma ação no organismo semelhante à do estradiol, mas como eles não são bioidênticos, têm efeitos um pouco diferentes. As isoflavonas podem ter um efeito mais fraco ou provocar alguma coisa que o estradiol não provoca", explica Ruth Clapauch.
De acordo com a endocrinologista, os bioidênticos podem ser utilizados, desde que com a mesma finalidade da terapia hormonal permitida no país atualmente: suprir carências do organismo. Para ela, a questão problemática é que alguns médicos, adeptos do antienvelhecimento, utilizam-se do termo para se referir apenas a hormônios feitos em farmácias de manipulação, o que é incorreto. "Os bioidênticos apresentam os mesmos riscos dos demais, caso utilizados de forma não-indicada", diz Ruth.
Abusos – A discussão sobre a medicina antienvelhecimento tem início em uma etapa anterior à prática clínica. Trata-se de um debate que ainda está sendo travado no campo da pesquisa científica. Edson Peracchi, presidente da Academia Brasileira de Medicina Antienvelhecimento, acredita que novos trabalhos científicos levarão a uma revisão nas determinações do CFM. Para ele, essa proibição tem caráter mais preventivo, para evitar os abusos que vinham ocorrendo em relação à medicina antienvelhecimento: "Infelizmente, no processo de implantação de qualquer técnica, tem a fase inicial que gera um deslumbramento e só depois vem uma sedimentação." Por enquanto, e pelo menos até uma nova revisão dos trabalhos científicos sobre o assunto, o que vale é a resolução do CFM.
Fonte: Veja

A Breve Opinião:
Atualmente, esse tipo de tratamento não é mais proibido, mas essa guerra está longe de acabar. As minhas dúvidas são: Será que o CFM está realmente preocupado com os efeitos nocivos da "medicina antienvelhecimento"? Será que consideram um placebo? e por fim será que o CFM está sendo utilizado pelo governo que preocupa-se com uma população que envelhece com saúde e pode aumentar consideravelmente a expectativa de vida quebrando assim a previdência social?
Se realmente fizer mal ou não for eficaz, caberá a população processar esses médicos por charlatanismo e nesse caso o CFM terá prestado um excelente serviço a sociedade.
Mas, se de fato o CFM estiver apenas servindo os interesses do governo, vão prejudicar e muito a sociedade. Alguns dirão: "Se a população viver com saúde por mais tempo, o governo mudará as regras para aposentadoria para manter esse grupo contribuindo por mais tempo". Nesse caso, outro problema surge, pois o aumento da concorrência achatará ainda mais os salários e também o número de desempregados. Continua sendo interessante para o governo que não haja investimentos nesse tipo de medicina.
As respostas somente o tempo nos dará, no momento cabe seguir o próprio coração para decidir em quem ou no que acreditar e seguir o principal dos conselhos médicos: Prevenir é melhor do que remediar.

domingo, 19 de maio de 2013

Fim do bolsa família?


O Fato (na verdade, o boato):


Onda de boatos sobre fim do Bolsa Família tumultua agências da Caixa


Uma boataria que não se sabe de onde partiu e que se multiplicou rapidamente, provocou pânico, tumulto e correria em agências da Caixa Econômica Federal na noite deste sábado (18/05), em Maceió. O falso alarme era de que o programa federal Bolsa Família seria extinto e que os seus beneficiários teriam até a meia-noite deste sábado para sacar o dinheiro. De acordo com a Superintendência da Caixa em Alagoas, outras agências do banco no Nordeste também foram alvo dos boatos.
Na agência da Caixa na Gruta de Lourdes, em Maceió, pelo menos 200 pessoas lotaram o banco para tentar tirar o dinheiro. Como cada beneficiário tem sua data específica para receber o valor, muitos passavam o cartão no terminal e, ao ver que não havia saldo na conta, se desesperavam. Outros tentaram e o sistema, sobrecarregado, dava erro.
“Minha data para receber o Bolsa Família era hoje, mas passei o cartão e só deu erro. Não sei o que está acontecendo”, disse José Viana. Já a dona de casa Ana Cristina Fortunato, 36, esteve na agência para tentar tirar o dinheiro que a mãe dela, Sônia Fortunato, recebe há quase 10 anos. Ela contou que estava em casa e uma vizinha “deu o recado” – ou seja, repassou o boato.
“A mulher disse que a gente tinha de ir a uma agência da Caixa porque o Bolsa Família acaba hoje e só podemos sacar o dinheiro até meia-noite. Foi um boato que ninguém sabe de onde surgiu, mas causou medo porque minha mãe recebe e depende desse dinheiro do programa e ficou desesperada. Tomara que seja mesmo só um boato”, disse Ana Fortunato.
O superintendente da Caixa em Alagoas, Herbert Buenos Aires de Carvalho, negou enfaticamente que o Bolsa Família esteja ameaçado de acabar. Ele afirmou que também não sabe de onde surgiu o boato e disse que as pessoas precisam esperar para receber o benefício somente nas datas estabelecidas pelo cronograma do governo federal.
“Infelizmente, ainda vivemos uma situação como essa, que leva centenas de pessoas a sair de casa, à noite, e vir a uma agência por conta de um boato. Também não sei de onde saiu a informação falsa, e fiquei sabendo que outros estados do Nordeste também passaram por isso. Mas as pessoas podem ficar tranquilas porque o governo federal não vai acabar com o Bolsa Família. O benefício é pago por etapa e em dias determinados”, explicou Herbert Buenos Aires.
Fonte: TNH

A Opinião:
Alguém, em sã consciência, acredita mesmo que um dia o bolsa família vai acabar? 
Agora que os políticos descobriram o mapa da mina, ou seja, uma forma de manter os miseráveis (esses precisam, é um dinheiro que cai do céu, pena que em alguns casos acomoda) e os corruptíveis (isso mesmo, nem todos os que recebem o bolsa família estão precisando do auxílio) caladinhos e obedecendo as ordens do governo. Será que teriam uma crise de consciência e acabariam com o bolsa família, substituindo esse programa paliativo por políticas públicas que resolvam de fato a má distribuição de renda no Brasil, o desemprego, a fome e consequentemente a violência?
Não mesmo, desistam dessa ideia. Ainda mais agora vendo o tumulto causado por um simples boato. A tendência é que o programa seja ampliado em um dos modelos de governo mais contraditórios do mundo: o tal social-liberal.
Como atender os desejos das elites? Com o neoliberalismo. E o povo? Com programas demagógicos e populistas. E a classe média? Esta precisa se virar como pode no Brasil, tiveram um bom momento durante o governo militar e o "milagre econômico brasileiro", mas era algo efêmero e se desfez. Agora é a hora e a vez de assistencialismo.
Está na moda ser pobre desde que favela virou comunidade, mantenha os miseráveis satisfeitos e assim é fácil conter as revoltas populares. No Brasil, o povo só se revoltaria em 3 situações: 
1- caso o país desistisse de sediar a copa ou as olimpíadas;
2- caso resolvessem que o único feriado durante o período do carnaval fosse a própria terça feira;
3- caso acabassem com o bolsa família.
De resto: a educação pública pode ser um lixo e os professores podem fazer greve; podem continuar morrendo várias pessoas nos corredores dos hospitais por falta de atendimento; a violência e a corrupção podem superar a criatividade dos cineastas e serem mais absurdas do que filmes. Nada muda! Nessa hora o que reina é o conformismo de um povo que desistiu de lutar pela qualidade, pela igualdade e pela justiça.