Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

domingo, 4 de março de 2012

Governo não fiscaliza as obras da Copa


O Fato:



Governo não fiscaliza obras da Copa, diz jornal


O governo federal não inspeciona, há dois meses, as obras dos estádios para a Copa do Mundo de 2014 desde o término do contrato com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), que era responsável pela fiscalização. Segundo reportagem do jornal "Folha de São Paulo" deste domingo, não houve substituição para a execução da inspeção e administradores teriam informado que não estão recebendo membros do Consórcio Copa-2014.
A questão acontece em meio as críticas feitas pelo secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke. O segundo homem mais forte da entidade disse nesta sexta-feira que os organizadores brasileiros precisavam levar "um chute no traseiro" por causa do atraso das obras. O ministro do Esporte, Aldo Rebelo anunciou neste sábado que pedirá a Fifa que afaste Valcke das negociações envolvendo a Copa do Mundo de 2014.
"O secretário-geral da Fifa não pode ser nosso interlocutor. As declarações do secretário da Fifa são inaceitáveis", afirmou Rebelo, dizendo que as críticas foram infundadas. "Não podemos receber um comentário de ofensa pessoal. Imagina alguém dizer que vai fazer isso com sua família, com seu clube, com sua sociedade", ressaltou.
O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, rebateu neste sábado a resposta do ministro do Esporte brasileiro, Aldo Rebelo, afirmando que o governo brasileiro é "infantil". O principal homem da Fifa para a organização da Copa do Mundo de 2014 está em Londres e reagiu com deboche e ironia à declaração de que o Brasil não vai mais considerá-lo como interlocutor.
Ao ser questionado sobre a resposta também dada neste sábado, Valcke não hesitou em dar a tréplica. O secretário questionou a forma com que o ministro brasileiro lidou com a crítica e afirmou que Rebelo não tem capacidade para tratar de seus problemas. "Se a resposta para minhas declarações é que não querem mais falar comigo, se não sou mais a pessoa com quem querem trabalhar, então, como dizemos em francês, é um pouco infantil", atacou.
Fonte: Sidney Rezende



A Opinião:

A expectativa do povo brasileiro em relação a copa de 2014 pode ser frustrada, vai depender apenas do que os brasileiros vão valorizar nessa copa. Se quiserem valorizar a festa e os jogos, tem tudo para ser um sucesso, afinal de festa e futebol a gente entende.
Porém, quem vai aproveitar a festa? De onde está saindo tanto dinheiro? O que vai sobrar de legado para o povo brasileiro? O Brasil vai permitir a violação de sua soberania?
A maioria das perguntas sobre a Copa de 2014 estão sem resposta. O Brasil pode estar perdendo uma grande oportunidade de resolver problemas em grandes metrópoles por pura falta de planejamento. 
Em vez de obras planejadas que resolvam o problema por anos e anos, teremos uma maquiagem mal feita e superfaturada.
A lei geral da copa não pode ser mais vantajosa para a FIFA do que para os brasileiros, um país como o Brasil não pode se encolher diante de uma entidade esportiva, já passou da hora de deixarmos de ser o país onde vale tudo. É preciso se fazer respeitar. Se tem alguém que precisa e merece um chute no traseiro é o Jerome Valcke. 
Viveremos durante o mês da Copa um Brasil de fantasia, onde tudo deve funcionar. Resta torcer para que o fim da Copa não seja como um furacão, deixando um país esfacelado, pois vamos gastar o que temos e o que não temos para agradar o mundo inteiro sem olhar para o Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário