Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

sábado, 31 de março de 2012

Hora do Planeta


O Fato (ou a tentativa):



Pontos turísticos do Rio vão ter as luzes apagadas na Hora do Planeta


Os principais monumentos e pontos turísticos do Rio de Janeiro vão ter a luzes apagadas às 20h30 deste sábado (31/03) durante a Hora do Planeta 2012. Entre os monumentos que vão ficar sem iluminação estão os Arcos da Lapa, no Centro, o Cristo Redentor e a orla de Copacabana e Ipanema, na Zona Sul da cidade.
A ação é uma parceria da Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos, com a WWF-Brasil.
"O Rio de Janeiro se sente honrado em mais uma vez participar da Hora do Planeta. Nosso objetivo é incentivar ações sustentáveis e promover o uso adequado da energia", disse o secretário municipal de Conservação e Serviços Públicos, Carlos Roberto Osório.
Além desses pontos turísticos, também terão as luzes apagadas a Igreja da Penha, na Zona Norte, e o Monumento aos Pracinhas, no Aterro do Flamengo, na Zona Sul.
Fonte: Portal G1

A Opinião:
Toda iniciativa visando a construção de um mundo melhor é válida. Mas a hora do planeta não é nem um pouco eficaz, porque não consegue sequer ser simbólica. 
Isso porque muitas pessoas só lembram da hora do planeta no dia em que ela ocorre, ou ainda no dia seguinte quando atônitos se perguntam: "Teve isso?"
Não é uma questão de ser irresponsável ou insensível, o fato é que movimentos como esse tem tanta eficácia quanto um abraço simbólico na Lagoa Rodrigo de Freitas contra a violência.
A tecla é sempre a mesma, é necessário investir em educação se quisermos construir um mundo melhor. O conhecimento sim é capaz de transformar o mundo. Que se amplie o debate sobre a relação homem e natureza, que se busquem alternativas concretas para conservação do planeta. Precisamos de informações e da educação para enfim pararmos de nos esconder atrás do (ainda) mito da sustentabilidade e transformar esse mito em realidade.





sexta-feira, 30 de março de 2012

Japão interceptará foguete norte-coreano


O Fato:



Japão interceptará foguete norte-coreano se estiver sob ameaça

Novas imagens de satélite parecem mostrar os preparativos iniciais para o lançamento de um foguete de longo alcance na Coreia do Norte apesar das objeções internacionais. A imagem de um satélite de operação privada foi tirada na quarta-feira em Tongchang-ri, onde o regime de Pyongyang diz planejar lançar o foguete entre 12 e 16 de abril.
Em reação ao lançamento, o ministro da Defesa japonês, Naoki Tanaka, ordenou nesta sexta-feira que as Forças de Autodefesa destruam o foguete caso o dispositivo ou fragmentos dele ameacem cair sobre o arquipélago japonês. Tanaka deu a ordem após solicitar às tropas há uma semana que iniciassem o protocolo preparatório para o lançamento, o que implica em dispor os sistemas de mísseis de intercepção que entrarão em funcionamento se a trajetória do foguete passar sobre o território ou águas japonesas.
A previsão é que o sistema antimísseis seja acionado na capital, Tóquio, assim como nas ilhas de Okinawa, Ishigaki e Miyako (todas ao sudoeste do arquipélago), sobre as quais o foguete pode passar. A ordem de Tanaka sugere também que as Forças de Autodefesa deverão desdobrar seus helicópteros com pessoal de resgate na Província de Okinawa. O Japão já preparou um sistema de contingência similar quando, em abril de 2009, a Coreia do Norte lançou outro satélite por meio de um projétil de longo alcance que sobrevoou o norte do país.
Uma análise conduzida pelo Instituto de EUA-Coreia na Escola Johns Hopkins de Estudos Internacionais Avançados das imagens de satélite mostram caminhões e tanques de abastecimento do lado de fora de duas grandes construções que seriam usadas para estocar propulsores para o foguete. Também mostra o trabalho em andamento em uma torre de um canteiro perto de uma plataforma de lançamento móvel, com um guindaste sendo usado para carregar equipamento. O foguete em si ainda não está visível.
A Coreia do Norte disse que o lançamento tem o objetivo de pôr em órbita um satélite de observação e marcar o centenário de nascimento do fundador da nação, Kim il Sung. Para os EUA, Japão, Coreia do Sul e ONU, porém, o lançamento encobrirá na verdade o teste de um míssil de longo alcance e viola as resoluções do Conselho de Segurança da ONU.
O presidente dos EUA, Barack Obama, apelou para que a liderança do país abandone o plano de lançamento do foguete, o que foi rejeitado pelo regime. Nesta sexta-feira, Pyongyang reiterou sua intenção de lançar o suposto satélite de observação, caracterizando a operação de "um símbolo de uma nova era de paz e prosperidade" do país comunista.
Nesse sentido, o regime insistiu que cumprirá as normas internacionais sobre operações espaciais com fins pacíficos e permitirá a jornalistas e analistas estrangeiros visitar a plataforma de lançamento para pôr fim às críticas. As declarações foram feitas no mesmo dia em que o país realizou um teste de mísseis de curto alcance, o que aumentou ainda mais a tensão internacional.
Se o lançamento realmente acontecer, porá fim a um acordo de 29 de fevereiro entre os dois adversários de longa data, sob o qual a Coreia do Norte, sob a nova liderança de Kim Jong-un, aceitou uma moratória em seus programas nucleares e de mísseis em troca de 240 mil toneladas de ajuda alimentar. A decisão de aceitar um acordo com os EUA foi tomada pouco mais de dois meses depois da morte do antigo líder Kim Jong-il.
Na quarta-feira, os EUA anunciaram que esse plano de ajuda de alimentos à Coreia do Norte já está suspenso por considerar que o satélite que Pyongyang deve lançar viola uma resolução de 2009 do Conselho de Segurança, que proíbe o lançamento de mísseis.
Fonte: Último Segundo


A Opinião:
O Extremo Oriente está ficando tão tenso quanto o Oriente Médio. Mas enquanto o confronto no Oriente Médio chega constantemente às vias de fato, o Extremo Oriente faz algo semelhante a Guerra Fria, ameaças são constantes   e assim a insegurança também é.
Honestamente não consigo enxergar nessa imagem de satélite nada comprometedor e essa é justamente a vantagem dos detentores da informação. Podem deturpar e contar a versão que mais lhe agradam, ajudando a manter o clima tenso da região.
É esperar para ver o que acontece entre 12 e 16 de abril. E torcer para que seja apenas mais uma ameaça

quinta-feira, 29 de março de 2012

O Judiciário e a Lei Seca


O Fato:


Cardozo defende mudanças na Lei Seca

Diante da polêmica gerada pela decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça) sobre a Lei Seca, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, defendeu nesta quinta-feira que o Congresso Nacional modifique a lei.
"Há uma decisão final e isso faz com que nós tenhamos que, rapidamente, dialogar com os líderes no Congresso para modificarmos a lei. Se a lei, da forma que está redigida, não tem condições de atingir a punibilidade que nós precisamos para esses casos, nós temos que mudar", disse o ministro.
Entre as mudanças pretendidas pelo governo está retirar da lei a dosagem alcoólica que caracterizaria o crime; permitir que uma pessoa em visível estado de embriaguez possa ser condenada e utilizar como provas depoimentos de testemunhas e filmes. Dessa forma, o ministro acredita que o bafômetro será mais utilizado como forma de provar inocência diante de uma suspeita do que como instrumento de acusação.
"O bafômetro, que hoje é elemento necessário para a condenação, passará a ser um instrumento da defesa de uma pessoa que quer demostrar que não está em estado de embriaguez", acredita o ministro.
Cardozo disse que não considerou uma surpresa a decisão do STJ de aceitar como provas de embriaguez somente o teste do bafômetro ou o exame de sangue. "Eu acredito que isso já estava desenhado em decisões anteriores da Justiça. Foi por essa razão que o Ministério da Justiça se preocupou e ainda hoje se preocupa em buscar a mudança da lei", destacou.
"É necessário que agora a lei seja alterada, justamente para que nós possamos continuar tendo uma ação muito dura em relação àquelas pessoas que, de forma irresponsável, bebem e dirigem. O Judiciário já se pronunciou na interpretação que deu a esta lei. Portanto, a partir do momento que consolida essa interpretação, nós temos que ser ágeis. Temos que adequar aquilo que nós precisamos a um novo texto legislativo. Queremos coibir, com muito vigor, o ato de irresponsabilidade, que é o de beber e dirigir", disse o Ministro.
Cardozo explicou que a maior parte das mudanças que o governo quer na lei já está em curso em projetos de lei que já tramitam no Congresso. Essas mudanças, na avaliação do ministro, não devem passar pela reforma do Código Penal, que envolve muitos temas e pode ser muito mais demorada.
"São projetos que já estão em curso, porque nós já antevíamos esse problema. Já estava claro que alguns magistrados interpretavam que o bafômetro era indispensável para uma condenação. Já no ano passado iniciamos um processo de discussão com lideranças, tanto da Câmara quanto do Senado, justamente para viabilizar essa mudança".

Fonte: Band.com

Vale muito a pena assistir a esse documentário


A Opinião:

Não sei o que é pior no Brasil, se a incapacidade que os nossos legisladores tem para elaborar leis sem deixar brechas ou o mau caratismo das pessoas que se aproveitam das brechas da lei para manter no nosso país o reino da impunidade.
Criticamos demais os políticos, mas a Lei Seca é uma lei que trouxe melhorias para a segurança nas estradas brasileiras, e estava funcionando pois era visível a redução dos acidentes nas estradas. Pena que recebeu esse duro golpe dado pelo judiciário em um tipo de manobra que me enoja. Se a lei está mal redigida, caberia um alerta ao legislativo antes de alertar e protegerem os infratores.
É lógico que para reduzir ainda mais os acidentes no trânsito, é imperativo melhorar a qualidade e a sinalização das estradas e investir maciçamente em educação.
Infelizmente os brasileiros reclamam demais da impunidade no Brasil, mas são os primeiros que querem viver arbitrariamente olhando apenas para o próprio umbigo e esquecendo que o direito de um acaba quando o dos outros começa e não é justo que inocentes morram pela irresponsabilidade de alguns. 
A justiça surgiu para proteger os mais fracos, mas muitos juízes hoje interpretam as leis com o objetivo único de legitimar os erros cometidos pelos  mais poderosos.

terça-feira, 27 de março de 2012

Combate ao terrorismo nuclear


O Fato:



Líderes mundiais aprovam declaração de unidade no combate ao terrorismo nuclear


A comunidade internacional, liderada pelos Estados Unidos e alguns países europeus, quer unidade no combate ao terrorismo nuclear. Esse é o principal item da declaração final da 2ª Conferência de Segurança Nuclear, em Seul, na Coreia do Sul, aprovada hoje (27/03) pelos 53 líderes estrangeiros presentes. O vice-presidente, Michel Temer, representou o Brasil.
Além dos chefes de Estado e de Governo de 53 países, também participaram dos debates em Seul representantes da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol); da Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea); da União Europeia (UE); e da Organização das Nações Unidas (ONU). A próxima reunião ocorrerá em 2014, na Holanda.
“O terrorismo nuclear continua a ser uma das maiores ameaças para a segurança internacional”, alerta o documento. “Resolver essa ameaça exige medidas firmes de combate em cada país e uma cooperação internacional dado o seu potencial em termos de consequências políticas, econômicas, sociais e psicológicas.”
Os líderes reafirmaram a necessidade de buscar o desarmamento, a não proliferação e a utilização pacífica da energia nuclear no mundo. “[Exige-se a] responsabilidade dos Estados, de acordo com as obrigações nacionais e internacionais, de manter em segurança de todo o material nuclear para impedir que esses materiais sejam utilizados para fins criminosos”, diz o texto.
De acordo com o comunidado, as medidas de segurança nuclear não serão um entrave ao direito dos países de "desenvolver e utilizar a energia nuclear com fins pacíficos”. No texto, os líderes recomendam ainda que todos os países devem manter vigilância constante dos estoques de urânio e plutônio, usados como combustível de usinas e de armas nucleares. As discussões ocorrem no momento em que Irã e Coreia do Norte são alvo de suspeitas da comunidade internacional de manter programas clandestinos de desenvolvimento de armas atômicas.
Fonte: Correio do Estado
Alguns questionamentos:
Combater apenas o terrorismo nuclear? E os outros tipos de armamentos?
Quem decide os que são terroristas nucleares? 
A nação que possui o maior arsenal nuclear pode ser considerada terrorista? 
Por que algumas nações podem ter armas nucleares e outras não?



sábado, 17 de março de 2012

Celular de grávida pode deixar bebê hiperativo


O Fato:



Celular de grávida pode deixar bebê hiperativo, diz estudo


Pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, acreditam que os celulares podem ser, em parte, os culpados por problemas de hiperatividade e déficit de atenção em crianças. De acordo com o The Sun, a radiação emitida por aparelhos móveis durante o período da gestação pode causar formação desigual do cérebro dos fetos.
"Esta é a primeira evidência experimental de que a exposição à radiação de telefones (celulares) afeta o comportamento humano", afirmou o professor Hugh Taylor, que participou do estudo, ao jornal britânico. Ele explicou que os testes foram feitos em ratos, mas que os pesquisadores acreditam que os efeitos em humanos podem ser os mesmos. No estudo, ratas grávidas foram colocadas em um espaço com um telefone celular ativo e suas crias apresentaram sinais de hiperatividade, ansiedade e memória fraca.
"Mostramos que problemas comportamentais em ratos que se assemelham ao TDAH (transtorno do déficit de atenção com hiperatividade) humano são causados por excesso de exposição, quando dentro do útero, a telefones móveis", continua Taylor. "O aparecimento de distúrbios de comportamento em crianças humanas pode vir a ser, em parte, atribuído à exposição dos fetos a celulares", pontua.
Segundo o The Sun, outros especialistas deveria ser interpretado com cautela, uma vez que ratos e humanos reagem de formas diferentes. O jornal cita entre eles o professor Eric Taylor, da universidade de King's College, em Londres, que afirmou ser improvável que os celulares sejam culpados pelo aumento de incidência da TDAH.
Fonte: Portal Terra

A Opinião:
Antes de mais nada é importante ressaltar que o ser humano do século XXI está mais preocupado em encontrar culpados do que corrigir as eventuais falhas. Somos humanos, somos falhos, estamos em um processo de constante aprendizado e o fracasso pode acontecer tanto quanto o sucesso.
É muito comum hoje alguém ser diagnosticado com hiperatividade ou déficit de atenção, mas quantos desses diagnósticos são corretos? Quantos estão apenas buscando uma desculpa para se manter em uma zona de conforto em vez de enfrentar o problema? 
Agora a pesquisa mostra que o celular pode ser um dos culpados pela hiperatividade ou déficit de atenção nos bebês. Que fique claro, pode ser um dos culpados e não o único culpado. A alimentação repleta de açúcares e cafeína pode ser outro. Mas acredito que o principal culpado ainda é a falta de limites por parte dos pais e responsáveis que permitem que a criança faça o que bem entende, afinal educar dá muito trabalho.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Educação infantil na China


O Fato:



Rigor na educação infantil começa a ser questionado na China

A educação da juventude na China vem sendo famosa pela austeridade, com destaque para o trabalho e a disciplina dos alunos, mas esta doutrina vem sendo questionada pelas próprias famílias, nos últimos anos. 
Os defensores da severidade na educação chinesa garantem que seus preceitos, com base no proibido e no elitismo são superiores à, por assim dizer, "permissividade" ocidental.
A ideia foi defendida, principalmente, no ano passado, em um livro escrito por uma professora da Universidade americana de Yale, de origem chinesa, que louvou as virtudes da coerção.
Nesta obra intitulada "Battle Hymn of the Tiger Mother" (Hino da Batalha de uma Mãe-Tigre, numa tradução livre), Amy Chua enumerou as coisas que suas duas filhas nunca tiveram direito de fazer: uma festa de pijama, com as colegas: atuar numa peça de teatro na escola; ter um companheiro de jogos; ver televisão, brincar no computador, etc.
O livro foi recebido com muita polêmica e reações indignadas nos Estados Unidos, onde a mãe foi comparada a um "tirano"; mas não foi motivo de nenhum debate na China, onde os escolares passam longas horas na sala de aula e onde a autoridade parental é exercida com frequência de forma severa.
Crianças com quatro anos, por exemplo, têm uma carga horária diária na escola de oito horas, podendo chegar a 12 horas para os mais velhos. 
No entanto, os deputados reunidos para a sessão anual do Parlamento, que deve encerrar nesta quarta-feira, debateram mudanças nesses ritmos, para aliviar as pressões que sofrem as crianças, explicou à AFP um dos deputados, o professor Zhu Yongxin.
"Acho, com certeza, que a educação chinesa poderia ser mais descontraída. A educação deve ser uma experiência feliz", afirmou, paralelamente à Assembleia Nacional Popular (ANP).
O debate ganhou força, recentemente, com o aparecimento, na internet, de um vídeo amador mostrando uma criança chinesa de quatro anos, forçada pelos pais a correr na neve em Nova York, vestida apenas com um calção e os sapatos.
Os pais justificaram seu gesto extremo: alegaram necessidade de fortalecer o caráter de seu filho e sua saúde. Mas a curta sequência filmada despertou reações indignadas entre os internautas, um sinal de que a opinião está evoluindo.
Segundo o professor Zhu, os pais chineses desejavam, agora, para seus filhos, uma educação "menos severa" - em parte devido à política de filho único, e em parte graças à maior possibilidade de acesso às escolas ocidentais.
"A China está mais aberta - em particular no que diz respeito à educação estrangeira e à aprendizagem - e as escolas estão mais inclinadas a introduzir uma cultura e um pensamento inovadores", destacou.
Nos últimos anos, a China registrou uma grande expansão dos estabelecimentos de ensino alternativos, adotando, principalmente, os princípios do polêmico pensador austríaco Rudolf Steiner (1861-1925), criador das escolas alternativas Waldorf.
A primeira escola Waldorf na China abriu suas portas em 2004, e outras seis foram inauguradas no ano passado.
Nestas escolas, o ensino da leitura, da escrita e da matemática começa numa idade mais elevada que na maior parte dos estabelecimentos tradicionais, acompanhado de um reforço a outras disciplinas, como a música e o desenho.
Yu Shufen decidiu enviar sua filha de sete anos, Duo Duo, a uma escola Waldorf na periferia de Pequim, considerando que ela sofreria muita pressão no sistema estadual clássico.
"Este (sistema chinês) pode ser muito intenso para as crianças; há sempre muitas lições e provas," declarou ela à AFP. "Seu desenvolvimento físico e mental sofre neste meio, pelo que nunca pensei matricular minha filha numa escola pública".
O setor da educação privada está em plena expansão na China, devendo chegar a um montante de 80 bilhões de dólares este ano, contra 60 bilhões de dólares em 2009, segundo o Bank of America Merrill Lynch.
Fonte: Exame.com
A Opinião:
Um dos problemas relacionados a uma população absoluta extremamente numerosa é o aumento da competitividade. Os chineses sofrem com o desemprego e com as longas jornadas de trabalho, mas são muitas pessoas para poucas vagas e assim somente os mais preparados conseguem vencer.
Os pais ficam em uma encruzilhada, pois se colocarem pressão os filhos podem sofrer demais na busca por resultados e sofrer mais ainda porque nem sempre conseguem alcançar o resultado desejado.
O excesso de cobrança e de rigidez nas regras pode limitar a criatividade e a capacidade de inovação, os chineses se preparam para serem "robôs humanos", importantes peças na engrenagem das gigantescas transnacionais.
Mas, foi dessa forma que a China conseguiu fazer sua economia crescer e chegar a ter destaque mundial, a ponto de muitos acreditarem que a China será a nova potência hegemônica.
Com o mundo globalizado de hoje, muitos no lado ocidental do planeta simpatizarão com o método chinês. Se essa simpatia servir para haver uma mescla entre a permissividade ocidental e a rigidez extrema chinesa podemos dar um passo rumo ao ponto certo da educação. 

quarta-feira, 14 de março de 2012

Cigarros com sabor


O Fato:



Souza Cruz lamenta decisão sobre cigarros com sabor


A Souza Cruz lamentou, em comunicado à imprensa, a decisão ontem da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de restringir o uso de ingredientes nos produtos derivados de tabaco. "A Anvisa demonstrou não ter levado em conta os argumentos da cadeia produtiva do setor", informa a empresa.
 "Acreditamos que as autoridades locais no Brasil devem tratar o assunto com mais profundidade como o FDA, nos Estados Unidos, que está analisando proposta semelhante através de uma Câmara de Estudos técnicos estabelecido para esta finalidade", diz a Souza Cruz.
De acordo com a empresa, medidas restritivas como as apresentadas pela Anvisa ampliariam a participação do mercado ilegal de cigarros, que implicaria em riscos ao consumidor uma vez que esses produtos não passam por fiscalização ou registro nos órgãos sanitários. "Hoje, o comércio ilegal responde por 30% no mercado brasileiro e sonega o pagamento de cerca de R$ 3 bilhões de impostos por ano ao Brasil", afirma a Souza Cruz no comunicado, ressaltando que irá se pronunciar com mais detalhes sobre a decisão da Anvisa assim que tiver acesso aos termos da resolução.
Fonte: Diário do Grande ABC


A Opinião:
Não sei o que é mais impressionante, a ignorância dos fumantes ou a cara de pau das empresas produtoras de cigarro.
Como a maioria das pessoas sabe, o cigarro é um produto comprovadamente nocivo à saúde (como muitos outros, diga-se de passagem) e as empresas produtoras estão querendo ampliar o número de consumidores jovens tornando atraentes através de diferentes sabores e cores.
O pior é a ameaça camuflada de continuar vendendo o produto mesmo sem aprovação da Anvisa e culpar o mercado ilegal de cigarros, além de argumentarem que o Brasil perderia muito dinheiro pois arrecadaríamos menos impostos. 
Desculpem, mas a vida tem mais valor que o dinheiro e o único sabor que o cigarro possui é a morte.



segunda-feira, 12 de março de 2012

EUA e o combate ao narcotráfico


O Fato:



Morales afirma que EUA usam luta antidrogas como ferramenta geopolítica


O presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou nesta segunda-feira durante uma entrevista coletiva em Viena, na Áustria, que os Estados Unidos utilizam a luta contra as drogas como uma ferramenta "geopolítica".
"Infelizmente, os EUA usam a luta contra o narcotráfico a partir de um ponto de vista geopolítico, por interesses geopolíticos", disse o presidente ao ser perguntado sobre um recente relatório do Departamento de Estado americano que afirmou que a política antidrogas de La Paz tinha fracassado.
Morales reclamou que o "Departamento de Estado americano sempre desqualifica os avanços na luta contra o narcotráfico".
Já as Nações Unidas, ressaltou o chefe de estado, "reconhecem os avanços na luta contra o narcotráfico e a redução da área de cultivo de coca".
Morales explicou que o Departamento Americano Antidroga (DEA) foi expulso da Bolívia pois tentava influenciar a política interna do país.
O presidente disse que o DEA operava no país apenas para perseguir "políticos e dirigentes sindicais antiimperialistas. Por isso expulsamos a DEA".
Morales denunciou que os países antiimperialistas da América Latina são acusados pelos EUA de serem terroristas, autoritários e de abrigarem narcotraficantes.
O líder boliviano discursou hoje na Comissão de Entorpecentes da ONU para solicitar a descriminalização em seu país da folha de coca para usos tradicionais e medicinais, ao mesmo tempo em que reafirmou a luta da Bolívia contra o narcotráfico.
Evo Morales voltará para La Paz na noite desta segunda-feira, após uma ampla agenda em Viena, que inclui uma reunião com o presidente da Áustria, Heinz Fischer.
A Bolívia é o terceiro maior produtor de coca do mundo, após a Colômbia e o Peru, com 31 mil hectares de área cultivada, dos quais 12 mil são áreas legais destinadas ao uso tradicional.
Fonte: Portal Terra


A Opinião:

Os Estados Unidos ainda detém a hegemonia mundial e para se manter assim é fundamental que todas as suas ações tenham interesses geopolíticos. Os países que não enxergam dessa forma são no mínimo inocentes.
É inviável acabar com o tráfico de drogas sem acabar com o mercado consumidor. Atualmente o que se vê é a criminalização da venda, porém a descriminalização do consumo, os usuários são vistos como vítimas e não como mantenedores de uma indústria ilegal.
Todos sabem que os principais mercados consumidores estão nos países desenvolvidos, que fazem de conta que combatem ao mesmo tempo em que lucram com a venda de armas e equipamentos de segurança enquanto culpam as nações mais pobres e criam brechas para intervenções.
O presidente boliviano tem razão? Em grande parte sim, mas quem se importa? A quem vão ouvir: Evo Morales ou Barack Obama? Quero ver quem vai ter coragem de combater o tráfico da hipocrisia.

domingo, 11 de março de 2012

Bombardeios na Faixa de Gaza


O Fato:



Sobe para 18 os mortos por bombardeios israelenses em Gaza


Um civil de 52 anos morreu em Gaza neste domingo em um novo ataque aéreo israelense, o que elevou para 18 o número de palestinos que perderam a vida desde sexta-feira na maior espiral de violência na região desde outubro, informaram fontes de hospitais.
O homem morreu em um bombardeio aéreo israelense no sudeste da Cidade de Gaza, detalhou o porta-voz dos serviços de emergência da faixa, Adham Abu Salmiya. O Exército israelense alegou estar investigando as informações.
Trata-se da terceira morte do dia na faixa, depois que um menino de 13 anos e um miliciano perderam a vida nesta madrugada em dois bombardeios aéreos.
O pequeno Ayub Amre Asalia foi atingido por um míssil israelense quando ia para a escola neste domingo - dia em que começa a semana escolar em Gaza - ao leste do campo de refugiados de Jabalya, no norte da faixa, informou a agência oficial palestina Wafa.
Outras duas crianças, uma delas de 7 anos, ficaram feridas no bombardeio. Além disso, um miliciano de 24 anos e membro do braço armado dos Comitês Populares de Resistência morreu atingido por disparos no bairro Zeitoun da Cidade de Gaza, informou o porta-voz dos serviços de emergência na faixa, Adham Abu Salmiya.
O Exército israelense confirmou em comunicado ter atacado do ar "um comando terrorista que estava na fase final de preparação para lançar foguetes contra Israel a partir do norte de Gaza e dois locais de lançamentos de foguetes" na mesma região.
Os bombardeios deste domingo elevaram a 18 o número de mortos palestinos -dois deles civis - e a 30 o de feridos - quatro deles em Israel - na maior espiral de violência em torno de Gaza desde outubro do ano passado.
Dez dos milicianos mortos pertencem às Brigadas Al Quds, braço armado da Jihad Islâmica, enquanto os seis restantes são dos Comitês Populares de Resistência.
Os quatro feridos em Israel - um deles em estado grave - são trabalhadores tailandeses que foram atingidos por um dos mais de 100 foguetes e bombas lançados pelos grupos armados de Gaza e que puseram todo o sul de Israel em estado de emergência.
A escalada de violência se iniciou na sexta-feira após o assassinato do secretário-geral dos Comitês Populares de Resistência, Zuhair al Qaisi, e de seu genro Mahmoud Hanani pelo Exército israelense no interior de Cidade de Gaza.
Israel argumenta que matou Qaisi porque preparava um atentado contra seu território a partir do Sinai.
Fonte: Portal Terra
O vídeo abaixo explica a origem e os conflitos até 2009


A Opinião:

Um confronto absolutamente longe de um final feliz. Eis os principais motivos: 
Estamos diante de um território ocupado por dois povos que possuem culturas amplamente diferentes e discordantes e que reivindicam a posse da terra por questões históricas e religiosas.
O Oriente Médio é uma região estratégica por estar na Ásia e ter ligações fáceis com a Europa e a África. E a localização de Israel é privilegiada pois é banhado pelo Mar Mediterrâneo (que facilita a ligação com a Europa) e está muito próximo ao Egito (ligação direta com a África).


O povo judeu está ocupando um território como um visitante indesejado, estão amplamente cercados por árabes, povo que simpatiza com os palestinos. 


A cidade de Jerusalém é sagrada para as principais religiões mundiais, dentre elas o Judaísmo (praticada pelos judeus) e o Islamismo (praticada pelos palestinos) e a sua divisão gera muita controvérsia.
Além disso, a região é árida e os judeus controlam a nascente do Rio Jordão que é uma importante fonte de abastecimento de água para a região.
O curioso nesse confronto é notar a simpatia que o povo nutre pelo lado mais fraco, apesar de haver erros de parte a parte Israel é visto como vilão e os palestinos como vítimas. É óbvio que Israel assassinou um número muito maior de palestinos, mas ninguém considera a diferença de força entre eles. Cada nação ataca com a força que possui. Cabe ao resto do mundo buscar soluções pacíficas e torcer pelo fim das mortes e pela estabilidade de uma região tão importante a nível mundial.