Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

domingo, 31 de julho de 2011

Sorteio das chaves das eliminatórias para a Copa de 2014


O Fato:

Fifa leva boa impressão do evento de R$ 30 milhões

 

O governo estadual e a Prefeitura do Rio gastaram, juntos, R$ 30 milhões para um evento com duração de uma semana na Marina da Glória, no Rio de Janeiro. Se as críticas ao alto custo da estrutura montada não foram poucas, o objetivo, ao menos foi alcançado. O diretor de comunicação da Fifa, Nicolas Maingot, afirmou que o presidente e o secretário-geral da entidade, Joseph Blatter e Jérôme Valcke, respectivamente, saíram bastante impressionados e confiantes do sorteio das chaves das eliminatórias da Copa do Mundo de 2014, realizado neste sábado, com transmissão para mais de 200 países.

“O Blatter e o Valcke estão muito felizes com o que viram aqui. A Fifa está muito satisfeita com o que foi realizado. O que precisa ser frisado é que o mundo todo ficou satisfeito, se você conversou com os estrangeiros aqui, é fácil notar isso. Acho que o Brasil teve um grande começo nessa Copa do Mundo, que traz muita confiança de todos os envolvidos de que teremos um Mundial espetacular no Brasil. Não havia nada aqui. É uma bela marina, mas tudo teve de ser construído para esse evento, então é uma estrutura que realmente impressiona. Veja o resultado, é fantástico. Foi um evento perfeito, tudo correu, esportivamente e em termos de organização, dentro do que planejávamos”, disse Maingot.

Quem também exaltou a estrutura e a organização do sorteio foi o técnico da Holanda, Bert van Marwijk. Ele rasgou elogios ao futebol brasileiro e afirmou que, no Brasil, “se respira futebol”. “O Brasil é o melhor de todos os tempos, ganhou cinco vezes a Copa do Mundo, todo mundo faz esporte nesse país. São 190 milhões de pessoas, têm muitos bons jogadores de futebol. É um ótimo país para se realizar um Mundial. Pelo que vi aqui hoje, vão organizar muito bem essa Copa. É um país onde se respira futebol”.
Campeão do mundo em 1994 com a seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira compareceu ao sorteio e mostrou confiança na competência do Brasil para a Copa de 2014. “Já fui em seis ou sete eventos desse nível e acho que o nosso não ficou devendo em nada para os outros. Muito bem organizado, muito bem apresentado, as imagens, foi perfeito, nota 10. Acho que a imagem para o mundo foi com um pontapé inicial dos melhores possíveis”, disse Parreira, que acrescentou. “A gente sabe que temos problemas enormes, gigantescos pela frente, mas confio na capacidade do empreendedor brasileiro, as empresas que trabalharão na construção dos estádios, das estradas vão dar conta do recado”
Além do sorteio das eliminatórias, da final da Copa, e do International Broadcast Center (IBC), o Rio ainda tentará levar o sorteio final, que decidirá os grupos do Mundial de 2014.

Na sexta-feira, o prefeito Eduardo Paes declarou que não se furtará a gastar a mesma quantia, se necessário, para novamente exibir a cidade para o mundo. O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, contudo, avisou que a preferência da Fifa é não centralizar tudo em uma cidade, já que a Copa acontecerá em 12 sedes, indicando que a entidade deverá apresentar o sorteio final em outra praça.

“Essa pergunta é difícil de responder. Em algum momento a decisão será tomada. A Copa é para todo o país, de Porto Alegre a Manaus, então para os outros eventos é um mistério”, completou Maingot.


A Opinião:
Tudo é uma questão de prioridades e no momento o Brasil prefere se exibir para o mundo do que cuidar dos seus habitantes. Não somos contra sediar a copa, pelo contrário, é um grande evento que pode trazer muitos recursos ao país, que pode de fato colocar o Brasil como uma das principais rotas de turismo internacional, que deve gerar empregos diretos e indiretos.
Somos contra a forma como isso está sendo feito, onde a única preocupação é agradar a FIFA em detrimento da população. Somos contra a falta de transparência que leva a corrupção a acontecer diante dos nossos olhos. Somos contra o descaso com os serviços públicos e com o dinheiro público.
Um exemplo claro e matematicamente explicado: Para o sorteio das chaves das eliminatórias para a Copa de 2014, um evento que duraria uma semana, foram gastos R$ 30 milhões e esse custo foi dividido entre a Prefeitura do Rio de Janeiro e o Governo estadual do Rio de Janeiro.  Os professores da rede estadual do Rio de Janeiro, estou repetindo seguidas vezes o lugar para deixar bem marcado, estão em greve desde o dia 07/06 reivindicando um aumento de 26% ou, para facilitar a nossa conta, R$ 190,00. Vamos imaginar que sejam 10 000 professores na rede estadual. Logo 10 mil, multiplicado por 190 vai gerar um gasto mensal extra para o Governo do estado do Rio de Janeiro de R$ 1 milhão e 900 mil. Continuando, se multiplicarmos R$ 1 milhão e 900 mil por 13 teremos um custo para o governo de R$ 24 milhões e 700 mil.
Assim, meus amigos, despejaram em uma semana, dinheiro que ajudaria a atender as reivindicações dos professores da rede estadual. Pergunto: Que legado o sorteio das chaves das eliminatórias para a Copa de 2014 deixa para o povo? E que legado uma educação de qualidade deixaria?
Deve ser por isso que o logo da copa de 2014 é esse:

Até a taça tampa o rosto com vergonha do que está acontecendo diante dos nossos olhos. Lembrando que a saúde pública das grandes metrópoles estão deixando a desejar e os planos de saúde estão fazendo a farra, a segurança pública também está gerando problemas, temos estradas esburacadas, falta infraestrutura em muitos pontos do país e muitas pessoas no nordeste do Brasil sofrem com a seca. Essa bola já tá rolando há muito tempo, pena que ninguém quer chutar.

sábado, 30 de julho de 2011

A crise da dívida nos Estados Unidos


O Fato:

Entenda melhor a crise da dívida nos Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos, o democrata Barack Obama, tem uma tarefa árdua para cumprir até a próxima terça-feira: evitar que o país entre em bancarrota conseguindo um acordo quase que milagroso entre os líderes republicanos e democratas do Congresso, em relação ao aumento do teto da dívida norte-americana. Os impasses maiores estão relacionados com o pacote de medidas e o prazo de cumprimento da dívida. Mas, como o professor de Economia da PUC-SP, Antonio Carlos dos Santos, observa, “esta crise está mais ligada à política do que à economia”.

“Democratas e republicanos têm uma visão de sociedade e de mundo totalmente diferentes. Republicanos hoje estão literalmente tomados por uma visão extremamente conservadora e limitada da economia. Não há possibilidade de encontrar um ponto em comum. É uma situação muito delicada”, alerta ele.
Basicamente, a economia americana e mundial está nas mãos de dois partidos políticos que não se entendem e tem duas propostas distintas. Republicanos querem cortar gastos públicos, e com isso, políticas públicas assistencialistas, além de defenderem aumentar o teto da dívida suficientemente para desafogar o governo americano, mas com um acordo de curto prazo. Já os democratas aceitam alguns cortes, mas priorizam o aumento da arrecadação de impostos sobre os ricos e um acordo de longo prazo, pois, assim, teriam muito mais chances de reeleição em 2012. Mas, depois de gastar bilhões para aquecer a economia após a crise de 2008, será que cortar gastos seria uma boa ideia?
“A economia ainda não apresenta uma recuperação sólida, então cortar gastos não é bom. Aumentar a arrecadação de imposto é uma boa ideia porque quem vai pagar é o pessoal de alta renda. Tanto do ponto econômico quanto social, isso faz todo o sentido. Os democratas estão defendendo o sistema de bem-estar social e os republicanos estão tentando destruir o Welfare State dos EUA. É isso que está em jogo”, analisa Antonio Carlos.
Afinal, como os Estados Unidos, a maior potência econômica do mundo, conseguiram chegar a esse ponto, prestes a declarar moratória? O professor de Política Internacional da Universidade Federal Fluminense (UFF), Adriano Freixo, responde:
“Nos últimos anos, os gastos públicos norte-americanos aumentaram enormemente, por conta do envolvimento em inúmeras guerras e das medidas para combater os efeitos da crise de 2008. Historicamente, a dívida norte-americana é alta, mas nesta última década a situação se agravou enormemente. E isto não se deve somente ao governo Obama, o governo Bush também abusou do cofre público”, explica Freixo.
A rivalidade antiga entre os dois principais partidos dos EUA, que se acirrou no governo Obama (a oposição republicana do governo de Bill Clinton não era tão intransigente) pode pôr tudo a perder.  Caso o acordo não saia, a economia mundial conheceria o verdadeiro caos, sem uma moeda de referência, já que todas as economias se baseiam no preço do dólar e o euro não está lá essas coisas. Só a possibilidade de não se chegar a um acordo já tem impactado o mercado, com a queda da bolsa no mundo inteiro. Se, efetivamente, a crise não tiver solução e o dólar continuar caindo, esta desvalorização pode afetar nosso mercado, prejudicando ainda mais nossas exportações, nossas indústrias, aumentando a entrada de importados, entre outras coisas.
“Acredito que eles vão conseguir entrar em um acordo dentro do prazo, mas não está mais na esfera da loucura se isso não acontecer. O cenário alternativo é tão catastrófico que é melhor nem pensar e as pessoas não estão nem considerando”, diz Antonio Carlos. 
Freixo já é mais otimista e acredita que “as próprias pressões que a sociedade norte-americana começa a fazer sobre seus congressistas para que se chegue a um acordo mínimo pode facilitar uma solução nos próximos dias”.
Barack Obama enfrentou grandes leões em seu primeiro mandato. Além de ter que lidar com os altos custos das guerras e com redução da carga tributária, criações de seu antecessor, Obama herdou uma imensa dívida que sucumbiu na crise econômica de 2008, primeiro ano de seu mandato. Diante dos frequentes ataques da oposição e da insatisfação da população, que se viu em uma situação econômica há muito tempo não experimentada, obrigada a encarar um alto índice de desemprego, sua reeleição poderia estar em risco, não fosse o “heróico” assassinato de Osama Bin Laden.
“A morte do Bin Laden foi positiva e o Obama capitalizou isso em termos de imagens para seu governo para tentar a reeleição. É difícil avaliar se ele seria reeleito ou não, pois existe uma certa imprevisibilidade. Se houver mesmo um agravamento da crise, isso não necessariamente vai recair sobre o Obama. Depende de como vai ser essa crise e como ela vai ser compreendida pelo eleitorado norte-americano”, avalia o professor do Departamento de Ciência Política da Universidade Federal Fluminense (UFF), Marcus Ianoni.
Já Antonio Carlos analisa a situação de forma menos imparcial.
“Quando chega o momento de tomar a decisão certa, os americanos acabam tomando. No fim das contas, vai prevalecer o bom censo e os democratas vão ganhar. Principalmente porque os candidatos republicanos que até agora se apresentaram não são convincentes. O Obama, na minha opinião, é um animal político genial”, finaliza.


A Opinião:
Parece que a política bélica está cobrando seu preço agora e embora a crise esteja no momento mais agudo, o principal culpado não é o governo Obama e sim o governo Bush, afinal foram oito anos desastrosos.
Quando o Barack Obama foi eleito, o mundo se encheu de esperança, porém observa-se agora um governo pífio, que não conseguiu levar os Estados Unidos para longe do lamaçal para onde estavam caminhando.
Um presidente que ganhou o Prêmio Nobel da Paz mesmo envolvido em guerras, ele, que foi superestimado, até mesmo sobrevalorizado, apareceu como solução antes mesmo de ter sido testado e assim toda essa euforia em torno do nome do Obama agora se reverte em frustração.
Belos discursos, porém sem atitudes concretas. O assassinato (até agora envolto em mistério) do Osama Bin Laden, de fato serviu como cortina de fumaça para encobrir a crise, pena que não conseguiram resolver antes da fumaça se dissipar.
Pelo menos esse "ato heróico" de assassinar (mas cadê o corpo?) o inimigo número 1 dos Estados Unidos pode servir para garantir uma reeleição de um herói, um mito, que nada fez até o momento para justificar o cartaz que recebe.

O Debate:
Será que o mundo deixará de ter uma nação hegemônica?

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Os governos devem gastar com publicidade?


O Fato:

Lula critica imprensa e defende gastos do governo com publicidade

Durante sua visita nesta quinta-feira a Paraíba do Sul, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu gastos do governo com publicidade e justificou-se dando uma alfinetada na imprensa, já que para ele, notícias ruins têm mais espaço no noticiário.
"Normalmente o que é ruim tem preferência no noticiário sobre o que é bom. Raramente você vê uma reportagem elogiando um hospital. O que é bom parte-se do pressuposto que é obrigação", disse o ex-presidente, que continou a criticar a imprensa:
"Um hospital que salvar mil vidas não é notícia, mas se morrer um é. Vocês - se dirigindo ao governador Sérgio Cabral - têm a obrigação política com o povo do Rio e com quem não mora aqui de dizer o que estão fazendo aqui. Acho que isso é uma falta de opção nossa. Tem muita gente que fala: ′Ah, você vai gastar dinheiro com publicidade?` Enquanto você não gasta para fazer publicidade das coisas boas, gasta para fazer nota reexplicando aquilo que foi equivocadamente denunciado", completou Lula.
O ex-presidente também deu um “recado” para o governador Sérgio Cabral: “Sabemos que ainda tem fila. Mas se o que melhorou, a gente não colocar para o povo saber, o povo vai ficar sabendo apenas aquilo que os outros querem que eles saibam. Segundo ele, tem muita coisa errada, mas tem que mostrar o que foi feito:
"Numa escada de 16 degraus, vocês chegaram a 8, 9. Tem que mostrar. A gente aprendeu com Chacrinha a muito tempo atrás: `Quem não se comunica, se trumbica".



A Opinião:

Por um lado o ex-presidente Lula está certo, o noticiário prioriza as piores notícias dando a sensação de que tudo está mal, não dando destaque as coisas boas feitas pelos governos municipais, estaduais e pelo próprio Governo Federal.
Porém, isso não justifica os gastos exorbitantes dos governos com publicidade, até porque muitas vezes a publicidade sobrevaloriza o que foi feito, não informando o povo sobre o que os governos fazem de bom e sim ludibriando, fazendo o que é regular ou apenas bom parecer sensacional. O vídeo abaixo é um exemplo disso.



Os gastos exagerados são uma tentativa de se perpetuar no poder, trazer o povo para o seu lado e diminuir as críticas da imprensa, afinal não é bom criticar um "bom cliente", pois grande parte das propagandas em diversos meios de comunicação são feitas pelos governantes, sendo lucrativo para as grandes empresas de comunicação.
O dinheiro público gasto com publicidade (ou seja, os seus impostos vão servir também para enaltecer os políticos que muito deixam a desejar) poderiam ser utilizados para melhorias nas áreas sociais. O povo enxerga as melhorias, o que não estão enxergando e nem se revoltando é com a farra do gasto com propagandas.

O Debate:

Você considera justo que o governo gaste com publicidade? 

O jornalismo brasileiro deveria dar mais espaço para boas notícias?

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Seis graus de separação


A Teoria:

A teoria dos seis graus de separação diz que no mundo todo, são necessários seis ou menos laços de amizade para que qualquer duas pesoas estejam ligadas. Isto é, você conhece tanto o Papa quanto qualquer atriz pornô se for ligando todos os conhecidos de seus conhecidos, 6 vezes sucessivamente.
Parece um pouco confuso, e as vezes até impossível ser verdade, mas se pensarmos um pouco, vemos que é totalmente plausível.
Veremos como eu conheço Larry Page e Sergey Brin, também conhecidos como donos do Google.
No começo de 2007, tive a oportunidade de fazer uma estágio no BID. Logo nas primeiras semanas, tivemos uma reunião e conhecemos o presidente, chamado Luis alberto Moreno. Alguma semanas depois, teve uma palestra com “um tal” de Vinton Cerf (que “inventou” a internet, mas isso é outras história), atualmente vice-presidente do Google. Sendo vice-presidente, é logico que ele conhece os caras.
Sendo assim, eu conheço os bilionários donos do Google em um fator 3 (Moreno, Cerf, Larry/Sergey)
Ainda, qualquer amigo de um amigo meu tem uma relação de 5 camadas com os caras.
Aí alguém diz, os famosos todo mundo conhece, mas e aquele índio lá no meio da amazônia?
Se eu “conheço” o Alberto Moreno, é fato que ele conhece o Celso Amorim ou até mesmo o Lula, que por sua vez, conhecem o Márcio Meira, presidente da Funai. O presidente da funai deve conhecer vários caciques ou representantes das tribos, que conhecem cada criancinha indígena perdida na selva.
Observa-se então mais uma vez a possibilidade de contato através de seis graus de separação.

Adaptado de: http://www.vale1clique.com/curiosidades/teoria-dos-seis-graus-de-separacao/




A Opinião:

Se comunicar é fundamental e o mundo atual oferece instrumentos diversos para isso, basta ver, por exemplo, o sucesso que fazem as salas de bate papo na internet e as redes sociais.
Agora será que essa teoria é verdadeira? A lógica é muito interessante e faz sentido, usando habilidade e contando com boa vontade de seus contatos, é possível se comunicar com qualquer pessoa do mundo, para isso é necessário usar os contatos certos.
Querem tentar?

O Desafio:

Alguém conseguiria provar se essa teoria funciona?

Comentem!!!

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Descaso com a educação

O Fato:

Greve de professores já dura mais de 30 dias em MG, RJ e SC

Em pelo menos três estados – Rio de Janeiro, Minas Gerais e Santa Catarina –, os professores da rede estadual de ensino estão em greve há mais de 30 dias e exigem aumento de salários, entre outras reivindicações. Em Santa Catarina, a paralisação já dura 56 dias.

No Rio, onde a paralisação já dura 35 dias, um grupo de cerca de 30 professores ocupou nesta terça-feira (12) à tarde o prédio da Secretaria Estadual de Educação, no centro da capital fluminense. Houve confronto entre os manifestantes e os seguranças da secretaria. Policiais do Batalhão de Choque usaram gás de pimenta. Uma das reivindicações dos professores do Rio é um aumento emergencial de 26%.

Em Minas, a greve completou 36 dias e ainda não houve negociação entre grevistas e o governo. No item principal da pauta de reivindicações está o pagamento do piso salarial nacional, instituído por lei federal. A Secretaria da Educação informou que o menor salário pago em Minas é R$ 1.122 por 24 horas semanais, contra os R$ 1.187 estabelecidos pela lei federal para 40 horas.

Em abril, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que esse piso deve ser composto apenas pelo vencimento básico, sem levar em consideração os benefícios adicionais. Os professores do estado já reivindicavam que todos os abonos fossem incorporados ao salário.
 

Justiça autoriza corte no ponto de professores em greve no RJ

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro suspendeu a liminar concedida ao Sindicato dos Profissionais de Educação (Sepe) que impedia o corte do pagamento dos dias parados dos professores. A decisão foi publicada nesta terça-feira, 51 dias após o início da greve.
Após a decisão, a Secretaria Estadual de Educação informou que resolveu efetuar o pagamento dos dias parados desde o dia 7 de junho. No entanto, a partir de 1º de agosto, quando as aulas recomeçarem, o servidor que estiver em greve terá falta descontada.
"As aulas perdidas terão que ser repostas. Em não havendo a reposição, de acordo com calendário estipulado pela secretaria, o servidor terá o desconto também retroativo", disse a secretaria em comunicado. Até o fim da semana, será divulgado o calendário de reposição das aulas, que devem ocorrer até 15 de setembro.
A secretaria informou ainda que já foi autorizada a contratação de 2,1 mil professores temporários, que podem ser chamados a partir de 1º de agosto, caso haja necessidade de reposição de aulas. "É de fundamental importância que os alunos não tenham qualquer tipo de prejuízo", afirmou o secretário Wilson Risolia.
Uma assembleia geral dos professores foi agendada para o dia 3 de agosto, quando serão definidos os rumos da greve. A categoria exige reajuste de 26%, incorporação imediata da gratificação do Nova Escola e descongelamento do plano de carreira dos funcionários administrativos.



 

A Opinião:

Até quando o povo vai aceitar as mentiras calado? Saindo pelas ruas hoje, vi em vários jornais que os professores grevistas estão prejudicando a educação pública do Estado do Rio de Janeiro.

Vou dizer quem prejudica não só a educação pública, como também a saúde e a segurança pública. Trata-se dos nossos governantes e atualmente essa culpa é do Sérgio Cabral Filho e sua equipe mentirosa, canalha, corrupta que busca a todo custo usar a mídia para inverter valores tentando colocar a sociedade contra a polícia, contra os médicos, contra os bombeiros e contra os professores.

Ser professor é profissão e não sacerdócio, mas lidamos com pessoas e não com mercadorias, nos envolvemos com nossos alunos e tentamos muitas vezes resolver os seus problemas, às vezes apenas ouvindo desabafos.

A luta dos professores do Estado é por dinheiro sim, por um salário melhor que permita desenvolver melhor a profissão, livre de preocupações, queremos também que os funcionários recebam um salário digno, afinal a educação também passa por eles.

Não somos marginais ou mercenários, mas essa é a forma como querem nos tratar, esse é o rótulo que querem colocar em uma classe que luta pelo bem das crianças e trabalha com dignidade e seriedade para que estes tenham um futuro mais digno.

Se a educação pública realmente tivesse qualidade, se o governo do estado do Rio de Janeiro de fato estivesse atendendo as solicitações dos professores e melhorando a educação, não seria necessário existir cotas para que alunos de escolas públicas pudessem ter acesso às Universidades, afinal a competição seria de igual para igual com a rede particular. Não teríamos um grande número de professores pedindo exoneração a cada dia, pelo contrário, muitos iam lutar para conquistar uma vaga e nunca mais sair, porque fazemos o que gostamos e acreditamos na educação, por isso estamos aqui.

Maldita é a parte da justiça brasileira que julga olhando apenas o lado dos mais poderosos, acredito que essa injustiça será reparada. Querem punir quem faz greve em vez de negociar? Querem calar a boca de quem luta pela educação de qualidade.

A verdade é essa e se alguém tiver dúvidas elabore uma prova e coloque lado a lado, alunos da rede estadual, da rede municipal e da rede particular de ensino e veja quem se sai melhor e quem se sai pior. Vá as escolas das redes estadual, municipal e particular e observe as condições a que os alunos são submetidos. Queremos igualdade! No mínimo que o abismo diminua, queremos dar atenção aos alunos de maneira mais próxima e não ter que trabalhar em mais de 3 escolas para ter um salário digno.

Quer descontar o salário, vá em frente! Quero ver calar a minha boca!

O Debate (Ou melhor, o alerta):

Passe esse post ao máximo de pessoas que conseguir, a verdade precisa vir à tona.

terça-feira, 26 de julho de 2011

OVNIs



O Fato:

Objeto luminoso visto em Embu das Artes pode ser pipa com led

 

Moradores do bairro Santa Tereza, em Embu das Artes, Grande São Paulo, foram surpreendidos na madrugada de domingo (24) por um objeto que voava e exibia luzes azuis. O Objeto Voador Não Identificado (Ovni) gerou especulações sobre a possibilidade de ser um disco voador.
No entanto, o objeto pode ser apenas uma pipa com luzes de led. Vista de longe e no céu escuro, só é possível enxergar as luzes se movimentando.
Imagens registradas por moradores em Embu das Artes mostram um objeto parado com um círculo de luzes azuis que se movimentava em torno de uma luz mais forte.
Quem atua no ramo da ufologia está cansado de receber casos semelhantes de supostas aeronaves alienígenas nos céus do Brasil. “Na grande maioria das vezes, as pessoas confundem aviões, balões meteorológicos e outros objetos com discos voadores”, disse o presidente do Centro de Ufologia Brasileiro (CUB), Milton Frank.
Em 33 anos pesquisando casos de supostos contatos entre humanos e naves e seres de outros planetas, ele disse nunca ter tido uma prova da existência de discos voadores. “Eu recebo, em média, de 500 a 800 e-mails por dia de possíveis avistamentos. E quando analisamos vemos que são todos falsos. Isso é extremamente raro. Pode-se dizer que a cada 1 milhão de casos, apenas um fica sem explicação.”


A Opinião:

O ser humano tem um fascínio por mistérios, e uma das maiores curiosidades é sobre a existência de vida em outros planetas. De um lado estão os que acreditam e do outro os que não acreditam.
Entre os que acreditam, há aqueles que acham que a vida em outros planetas está em um estágio muito superior ao encontrado na Terra, a ponto de poderem viajar pelo espaço e "conquistar" outros planetas.
O fato é que até hoje não conseguiram provar a existência de vida em outros planetas, mesmo gastando rios de dinheiro com pesquisas espaciais.

O Debate:

Você acredita que exista vida em outros planetas?

Se existir mesmo, seria bom entrar em contato com os extraterrestres? Por que?

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Cesar Cielo


O Fato:

Lágrimas de Cielo e protesto dos rivais ganham destaque pelo mundo

 

A medalha de ouro conquista por Cesar Cielo nos 50m borboleta no Mundial de Xangai ganhou destaque pelo mundo.  A imprensa internacional voltou a escrever sobre o caso de doping que quase o tirou da competição e do desconforto gerado nos rivais após a decisão do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) de optar pela advertência. Na França, país de Fred Bousquet e Alain Bernard - os dois principais rivais do brasileiro nos 50m e 100m livre -, o "Le Figaro" falou sobre a impressionante vitória e a explosão de emoção após a prova. Mas destacou também que o nadador está longe de ser uma unanimidade após o episódio do teste positivo para furosemida. Certo mesmo, segundo a publicação, é que "o rei da velocidade está em Xangai, gostem ou não". 

O "L'Equipe" cita as vaias que teriam partido da tribuna de atletas, protesto do queniano Jason Dunford e a o apoio de Bousquet a Cielo. Na Austrália, o "Sydney Morning Herald" destacou a prata e o bronze de Matt Targett e Geoff Huegill. Citou o choro incontrolável do brasileiro e deu destaque à defesa de Targett, que condenou a atitude de Dunford. Ex-companheiro de treinos Cielo nos tempos de Auburn, o australiano disse que estava feliz pelo amigo e que atitudes como a do adversário não tornavam as coisas melhores. No italiano "Gazzetta dello Sport", as lágrimas também mereceram destaque. A decisão do TAS foi lembrada. A publicação frisa ainda que "foi impossível não notar a frieza do público e dos adversários com ele".

A Opinião:

Como todo ídolo, Cesar Cielo precisa ter atitudes exemplares, pois são parâmetros para muitas crianças que serão a nova geração do esporte brasileiro e ainda mundial. Ter sido pego no antidoping foi chato demais, arranhou a imagem do excelente atleta brasileiro, mas ao fim do julgamento, o consideraram inocente.
Bem, é importante rever a forma como divulgar as notícias relacionadas ao doping para preservar atletas inocentes de manchas no currículo e na carreira e não influenciar negativamente os mais novos.
Cesar Cielo sempre mostrou muita vontade de vencer e sempre foi bastante focado e dedicado aos treinamentos e é essa imagem que precisa ficar para os mais jovens: a de um atleta vencedor, que sempre busca melhorar. 
Ridícula a atitude de outros atletas de criar polêmica nesse caso, parece que torcem pela desgraça dos rivais para assim chegarem ao topo, louvável a atitude dos oponentes que apoiaram Cielo e criticaram aqueles que o vaiaram.
Resta ver agora quanto tempo vai levar para que essa mancha se apague.

O Debate:

Você achou justa a absolvição do Cesar Cielo?

domingo, 24 de julho de 2011

Países mais felizes do mundo



O Fato:

Brasil é 12º país mais feliz do mundo, segundo pesquisa

O Brasil é o 12º país mais feliz do mundo, segundo uma pesquisa Gallup feita pela revista Forbes em 155 países e publicada na semana passada.
O ranking tem a Dinamarca como líder, seguida de Finlândia, Noruega, Suécia e Holanda.
Ele foi feito a partir de entrevistas realizadas entre 2005 e 2009.
As perguntas, segundo a revista, levavam os entrevistados a avaliar sua satisfação geral com suas vidas.
Depois, fazia perguntas específicas a respeito do passado recente. As perguntas levavam a classificar os entrevistados em três graus de satisfação, indo da felicidade ao sofrimento.
No Brasil, 58% dos entrevistas disseram-se felizes, 40% disseram estar "na batalha" e apenas 2% disseram estar sofrendo. A "nota geral" ficou em 7,5. O país ficou empatado com o Panamá e logo à frente dos Estados Unidos.
Os pesquisadores chegaram à conclusão, segundo a revista, que a resposta no que diz respeito à satisfação geral estão relacionadas com a riqueza do país. Mas, no que diz respeito ao passado recente, ela reflete mais a satisfação das necessidades psicológicas e sociais, e não necessariamente o bem estar econômico.
 
 
 
 
A Breve Opinião: 
 
A Felicidade está nas pequenas coisas, em saber como aproveitar a vida, no carinho e respeito ao próximo. É agradável saber que vivo num dos países mais felizes do mundo. Aproveite cada momento, não espere grandes coisas para sorrir. Rir é de fato um ótimo remédio. 


O Debate:
 

Você acredita que o brasileiro é um dos povos mais felizes do mundo? Por que?

sábado, 23 de julho de 2011

Impostômetro



O (Irritante) Fato:

Impostômetro chega a R$ 800 bilhões na sexta-feira

 

O Impostômetro - ferramenta criada há seis anos pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário - IBPT e mantida pela Associação Comercial de São Paulo - ACSP,  que faz  o registro dos tributos pagos pelos contribuintes brasileiros nas  três esferas de poder  federal, estadual e municipal, aponta  que a arrecadação de impostos no Brasil vem em um crescendo, com as marcas alcançadas com antecedência cada vez maior em relação aos anos anteriores.
Em 2011, a marca de R$ 800 bilhões de impostos arrecadados será atingida com 31 dias de antecedência em relação ao ano passado, no dia 22 de julho. Em 2010, esta marca foi registrada no dia 22 de agosto. Em 2009, no dia 8 de outubro e, em 2008, no dia 7 de outubro.
Segundo o coordenador de estudos do IBPT, Gilberto Luiz do Amaral, a previsão do Instituto é de que a arrecadação em 2011 chegue  a R$1,4 trilhão, cerca de R$ 200 bilhões a mais do que no ano passado. "Em tudo o que fazemos, desde o momento em que acordamos, estamos pagando impostos. O sistema tributário brasileiro está excessivamente moldado para tributar o consumo. Nos países desenvolvidos, ocorre o inverso, tributa-se menos o consumo e mais a renda e o patrimônio", afirma.

"A carga tributária nada mais é do que o preço que se paga pelo serviço público e se no Brasil paga-se muito, o contribuinte deve exigir um serviço de qualidade". Segundo Amaral, se os governos são ineficientes nas áreas de saúde, educação e segurança pública, a alternativa é que haja uma melhora na qualidade do serviço ou a diminuição da carga tributária brasileira.
"Em todos os meses deste ano a arrecadação de impostos do governo federal bateu recordes, e os dados do semestre divulgados pela Receita Federal mostram crescimento real de 12,7%, com um aumento de R$ 77,068 bilhões sobre 2010; é de se lamentar que um incremento tão expressivo da arrecadação fiscal não esteja sendo utilizado para a eliminação do déficit público ou para a realização de investimentos indispensáveis", disse o presidente da ACSP, Rogério Amato.

 

A Opinião:

 

Durante o Século XVIII, o Brasil colônia pagava um alto tributo ao seu colonizador, Portugal. Esse tributo incidia sobre tudo o que fosse produzido no Brasil  e correspondia a 20% (ou seja 1/5 da produção). Essa taxação altíssima e absurda era chamada de "O quinto" e gerava tanta revolta nos brasileiros que era chamado de "O quinto dos infernos". Um dos motivos da Inconfidência Mineira era o pagamento do quinto.

Atualmente, o povo brasileiro paga quase dois quintos só de impostos. A diferença é que antes o dinheiro era destinado à metrópole e agora ao Governo Federal, com a promessa de voltar ao povo sob a forma de serviços públicos.

O povo apenas paga e não quer exigir nem a redução da carga tributária e nem a melhoria nos serviços públicos. A nossa carga tributária é superior a de países como Estados Unidos e Japão, porém os serviços públicos recebidos pelo povo brasileiro, principalmente nas grandes metrópoles, está muito aquém dos oferecidos por essas nações. E o povo apenas paga, reclama com o desconhecido na fila da lotérica, mas paga.

Esse descompasso entre o valor dos impostos e o retorno oferecido, dificulta o desenvolvimento do Brasil. A conjuntura mundial é favorável ao nosso país, que tinha tudo para alcançar um novo patamar, mas infelizmente estamos presos a uma estrutura tributária arcaica, a corrupção, a benefícios aos políticos e a inércia de um povo que se satisfaz com qualquer coisa.

Apesar de toda a injustiça, não enxergo uma nova "Inconfidência" no Brasil, afinal o povo só sabe balançar a cabeça positivamente, sem lutar pelos seus direitos.

Como diria Milton Santos: "O povo brasileiro não quer direitos, quer benefícios" E esse é um problema.

 

O Debate:

 

Você prefere a redução dos impostos ou a melhoria dos serviços públicos?

 

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Influência da cor ou raça no cotidiano

O Fato:

Maioria dos brasileiros considera que cor ou raça influencia vida cotidiana

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada nesta sexta-feira constata que 63,7% da população brasileira considera que a raça ou a cor da pele influenciam na vida cotidiana.

Segundo o estudo, essa avaliação aparece em primeiro lugar no "trabalho", categoria citada por 71% dos entrevistados, enquanto "relação com Justiça/Polícia" é a segunda mais mencionada (68,3%) e "convívio social" fica em terceiro lugar (65%).
A "Pesquisa das Características Étnico-Raciais da População: um Estudo das Categorias de Classificação de Cor ou Raça" baseou-se em um estudo qualitativo com entrevistas em 15 mil residências no Amazonas, Paraíba, São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Distrito Federal.
Por unidades federativas, o Distrito Federal (77%) foi a que registrou maior proporção de pessoas que acreditam que raça ou cor influenciam nas relações cotidianas foi Distrito Federal, enquanto o Amazonas (54,8%) ficou em último entre as pesquisadas.
Por gênero, a percepção de que raça e cor têm efeitos foi maior entre as mulheres (66,8%) que entre os homens (60,2%).
Além disso, 96% dos entrevistados dizem estar cientes de sua própria cor e raça: branca (49%), preta (1,4%), parda (13,6%), amarela (1,5%) e indígena (0,4%), além dos termos "morena" (21,7%, incluindo variantes "morena clara" e "morena escura") e "negra" (7,8%).
A pesquisadora Ana Saboia, uma das autoras do estudo e chefe da Divisão de Indicadores do Instituto, esclareceu que os dados não permitem dizer se os brasileiros consideram que há discriminação por cor ou raça no Brasil.
"Não podemos afirmar isso. A pergunta foi direta: se a cor ou a raça influenciam na vida. Não perguntamos se essa influência era positiva ou negativa", explicou. 



A Opinião:

O primeiro vídeo é extremamente forte e mostra que, para acabarmos com essa discriminação é preciso que as crianças aprendam desde muito novas que não existe uma raça boa e uma ruim, que somos todos iguais.

Hoje a maioria dos brasileiros acredita que a raça influencia o cotidiano, ou seja, uma raça seria favorecida em diversos aspectos da vida. Isso mostra que no Brasil existe um racismo camuflado. Até aí nenhuma surpresa, afinal a sociedade brasileira é bastante hipócrita.

Seria interessante ver uma pesquisa semelhante, para saber até que ponto a classe social influencia o cotidiano, acredito que os números seriam ainda mais marcantes, porque ainda vivemos em uma sociedade que valoriza muito o ter em detrimento do ser.

Finalizo com a frase estampada no fim da belíssima propaganda contra o racismo: "Não deixe a cor da pele ser mais importante que o brilho dos olhos"

O Debate:

O que fazer para que todos entendam que racismo é estupidez?

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Spam e Hoax


É a mensagem cujo conteúdo é "alarmante". A definição mais real sobre hoax é que é um vírus social, que utiliza a boa fé das pessoas para se reproduzir, sendo esse o seu único objetivo. Dá- se o nome de hoax à essas estórias mentirosas recebidas por e-mail e se o destinatário não fizer o que foi solicitado, em geral é ameaçãdo: o seu computador será destruído, contaminado, formatado ou alguém irá matá-lo, você irá sofrer com doenças e outras ameaças sem qualquer fundo de verdade.
Os hoax tentam explorar o lado materialista do ser humano, informando que ele poderá ganhar celulares, viagens e outros prêmios se repassarem a mensagem para um grande número de pessoas.
Além disso, muitos desses hoaxes possuem conteúdo apelativo, assim exploram o lado emocional das pessoas, mostrando imagens de acidentados, de crianças doentes, ou ainda de desaparecidos, sempre pedindo para repassarem a mensagem.
E o que dizer dos abaixo-assinados e das conspirações, com histórias bem elaboradas, conseguem inclusive enganar pessoas esclarecidas e rapidamente ganham notoriedade pela facilidade de comunicação no mundo atual.

As principais características dos hoax são: 

Solicitação da difusão da mensagem - Quase sempre contém um pedido do tipo "espalhe essa mensagem para sua lista de contatos" ou "encaminhe este e-mail para o máximo de pessoas possível". Não divulgue ameaças para os endereços de sua caixa de correio eletrônico. 

Alerta de vírus poderoso - A maioria dos hoaxes alerta para vírus não monitorados pelos programas de antivírus. Lembre que os vírus perigosos são noticiados por empresas de antivírus, por sites de informática e por sites de notícias em geral. Assim, e-mails que falam de um vírus poderoso que não é citado nos sites mencionados certamente é falso.   

Muitas mensagens eletrônicas de conteúdo falso chegam com títulos como "Urgente", "Perigo" ou "Alerta de Vírus" - Assim, caso receba uma mensagem deste tipo, leia com desconfiança e não com surpresa.
Sobre as empresas - Nenhuma empresa oferece prêmios de valor extremamente alto. Nenhuma empresa oferece prêmios e faz divulgação por e-mail, exceto quando aspessoas estão se cadastrado em um serviço de entrega de boletins (newsletter). Nenhuma empresa conta a quantidade de pessoas que recebeu um determinado e-mail e depois faz doações correspondentes a essa quantia.  Se a mensagem citar o nome de uma empresa entre em contato com a companhia mencionada. Se a mensagem for falsa (e geralmente é), além da empresa esclarecer sua dúvida, ela poderá divulgar uma nota em seu site alertando sobre o problema.

Uso de falso jargão técnico - Com a intenção de convencer (e confundir) os leitores.

Ameaça - Essa é clássica, ameaças muitas vezes ligadas a superstição.

Com as redes sociais, os hoax ganham ainda mais penetração. São aquelas famosas correntes que todos falam que detestam, mas que metade desses que detestam também repassam.


Um bom site para desmascarar essas farsas é: Quatro Cantos
É um site bem organizado que "caça as bruxas do século XXI"

O Debate (Ou melhor, o nosso futuro banco de dados):

Coloque nos comentários um hoax (boatos ou correntes) recebido por você.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Fome na região do Chifre da África








O Triste Fato:


Fome ameaça meio milhão de crianças na África

Meio milhão de crianças está em "risco iminente" de morrer de fome na região do Chifre da África. O alerta foi lançado pela Unicef.
Este organismo das Nações Unidas salienta que a forte seca que se verifica nesta região do continente africano afeta mais de dois milhões de crianças e que a vida de um quarto delas está em perigo, se nada for feito rapidamente.
"Meio milhão de crianças sofre de desnutrição severa e está em risco iminente de morte. Precisam de ajuda imediata", disse o director executivo da agência das Nações Unidas para a infância, Anthony Lake, numa conferência de imprensa em Nairóbi, na capital do Quénia, citado pela agência Efe.
Lake juntou-se ao ministro britânico para o Desenvolvimento Internacional, Andrew Mitchell, que anunciou no sábado o envio de 60 milhões de euros de ajuda urgente para a Somália, Quénia e Etiópia.



A Opinião:

Imagens fortes que mexem bastante com o nosso emocional, mesmo acompanhando o sofrimento do continente africano por muitos e muitos anos, existem imagens e fatos que nunca podem se tornar banais.

Infelizmente as sensações que ficam são de impotência, por não conseguir sequer amenizar o problema daqueles seres humanos como nós, e de revolta, por perceber que os que podem de fato ajudar, não estão nem um pouco preocupados com essas vidas. 

Quando houve uma crise econômica e muitos bancos foram atingidos, o mundo se mobilizou e conseguiram todo o capital necessário para evitar que os bancos quebrem. Bem, agora precisamos da mesma mobilização para evitar que crianças morram de fome. O capital utilizado para salvar os bancos resolveria os problemas do Chifre da África por um bom tempo, mas, onde está o interesse?

Espero realmente que essa catástrofe seja evitada e que um dia todos os moradores do continente africano possam ter a oportunidade de levar uma vida digna, porque atualmente, a maioria da população nem essa chance tem.

O Debate:

Você enxerga alguma solução viável para a região do Chifre da África?

terça-feira, 19 de julho de 2011

Petróleo da Venezuela


Venezuela tem a maior reserva de petróleo do mundo

As reservas provadas de óleo cru da Venezuela somaram 296,5 bilhões de barris em 2010, ultrapassando as da Arábia Saudita, de 264,5 bilhões de barris. A estimativa atual é 40% superior à de 2009, quando se calculava em 211,17 bilhões de barris a quantidade de petróleo em terras venezuelanas. Os dados constam no boletim de estatística anual da Opep, divulgado nesta segunda-feira (18/7).
O Brasil permaneceu na 14ª posição, com 12,8 bilhões de barris de óleo cru, alta de 0,4% em relação aos números do ano anterior. O Irã ocupa a terceira posição, com 151 bilhões de barris, seguido por Iraque (115 bilhões de barris) e Kwait (101 bilhões de barris). As reservas mundiais totalizam 1,467 trilhões de barris.
No gás natural, a Rússia lidera com a maior reserva provada: 46 trilhões de m³. O Irã ocupa a segunda posição, com 33,1 trilhões de m³. O Brasil aparece na 40ª posição, com 358 bilhões de m³ do energético. As reservas mundiais somam 192,54 trilhões de m³, segundo a Opep.


A Opinião:
Desde a Segunda Revolução Industrial, o petróleo se tornou a principal fonte de energia do mundo, pela facilidade de transporte e pelo múltiplo uso. Com isso, nações detentoras de grandes reservas tendem a gerar riquezas. 
A Venezuela possui a maior reserva de petróleo do mundo e essa descoberta faz com que e torne um dos mais importantes países da América Latina. Ao falar em Petróleo, os olhos do mundo que antes se voltavam praticamente apenas para o Oriente Médio, passam a se voltar também para a América do Sul, graças ao Brasil e principalmente a Venezuela.
A cada ano novas jazidas de petróleo são descobertas, mas ainda são insuficientes para alimentar um mercado faminto pelo petróleo e seus  derivados, o que justifica a preocupação com a sua escassez e a necessidade de investimentos em fontes alternativas que poderia diminuir a emissão de gases estufa e diminuir o risco de guerras.

O Debate:

O que acha que aconteceria com o mundo se o petróleo acabasse?