Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Eu escolhi esperar


 
 
O Fato:

Entenda o movimento #euescolhiesperar

Eles escolheram não fazer sexo, ao menos, não por enquanto, por isso, a hashtag #euescolhiesperar está bombando no Twitter. A campanha, que prega a castidade entre os jovens, começou há alguns anos nos Estados Unidos e só agora ganha força no Brasil. Há quase dois meses, a ONG Mobilizando o Brasil (MOB) lançou a campanha #euescolhiesperar em um site e já conta com quase 4 mil adeptos no Facebook. No Twitter, são mais cerca de 20 mil seguidores do perfil @EscolhiEsperar
Quem está por trás da MOB, com sede em Vitória (Espírito Santo) são pastores e movimentos evangélicos, padres e outras correntes e congregações cristãs. Algumas delas são: Associação de Pastores Evangélicos de Vila Velha, Associação de Pastores da Grande Vitória, Grupo de pastores no ES e Ministério Cristo em Mim.
Os adeptos a prática de não praticar sexo, usam as redes sociais para divulgar o movimento e conhecer mais gente que pensa parecido. Alguns aderiram a uma aliança que simboliza seu compromisso com a castidade. Lá fora, os maiores símbolos da campanha, que chegaram a usar um “anel de pureza”, os astros teen Demi Lovato, os Jonas Brothers, Miley Cyrus e Selena Gomez – hoje, a maioria já deixou o acessório de lado. 

A Opinião:
Num tempo onde a valorização da vulgaridade está chegando em pontos extremos, um grupo decide começar um movimento que vai na contramão. Para uns é uma tentativa de resgate de valores que vinham se perdendo, mas para outros seria um retrocesso, uma volta aos antigos tabus.
Fala-se muito sobre a influência da religião, mas estamos em um momento que a preocupação não é apenas dos religiosos, a preocupação com doenças como a AIDS e com gravidez precoce e/ou indesejada povoa a cabeça inclusive de pessoas não religiosas que aderem esse movimento. Pelo fim da banalização do sexo.
A forma mais segura de sexo ainda é com uma aliança nos dedos, por mais liberal que a pessoa seja, não há como negar que a chance de um casal, que se preservou virgem até o casamento, contrair doenças sexualmente transmissíveis é praticamente nula. Além disso, a promiscuidade diminuiria.
Mas um outro grande debate que pode surgir a partir dessa notícia é sobre o poder das redes sociais. Para muitos as redes sociais possuem um grande poder de mobilização. Outros acreditam que é apenas um espaço para desabafos. Enfim são temas que vão gerar discussões eternas.


O Debate:

Você é favorável a preservação da virgindade até o casamento?
As redes sociais serão capazes um dia de moldar o comportamento da sociedade?

Nenhum comentário:

Postar um comentário