Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Revendo o caso do Morro do Bumba


Chamar de tragédia anunciada depois do ocorrido é mole. Ao mesmo tempo essa foi a manchete em muitos veículos de comunicação depois daquele terrível dia. Surgiram diversos profetas capazes de prever o que já havia acontecido com aquele ar de "eu avisei" mesmo sem nunca ter avisado antes (justiça seja feita aos que de fato avisaram e não foram ouvidos), muitos sem nem terem pisado e nem lido nada a respeito daquela região, mas que repetem um discurso pronto de uma mídia mais preocupada com o impacto político que o fato iria causar do que com as vidas que se perderam. 
Ao falar de vidas que se perderam, não há referências apenas aos que infelizmente faleceram, também é importante recordar daqueles que ao olharem as fotografias, daqui a alguns anos, se darão conta de terem perdido uma preciosa fatia da vida. A felicidade por estar vivo, contrastando com a raiva pelo cinismo e o descaso das pessoas a quem confiamos o nosso voto, na esperança de que nos representem com dignidade e lutem pelo bem comum.
Cinismo pois prepararam a infraestrutura, praticamente "convidando" a ocupação de uma região que havia sido um lixão no passado. A população  "aceita o convite" de bom grado, pois não sabe dos perigos, mas os administradores públicos de Niterói são obrigados a saber e a zelar pela segurança da população. 
E não é só Niterói, parece que existe uma torcida para que novas tragédias atinjam as suas cidades e assim recebam auxílio de todas as partes e não precisem realizar licitações para decidir que empresas trabalharão na reconstrução, favorecendo assim, empresas de parentes e amigos. 
No fundo é com essa pobreza que a Dilma precisa se preocupar: pobreza de espírito, de sentimento, de caráter. 
E o descaso? Se passou um ano e cadê a solução? Ou melhor, cadê a perspectiva de solução? Não podem acreditar que o povo simplesmente vai esquecer, até porque um povo sem memória é coveiro de si mesmo, se esse fato for esquecido, certamente se repetirá. 
E de quem vai ser a culpa? É só ligar a TV e ouvir: "Choveu em 2 horas mais do que o esperado para o mês inteiro". Ah bom, está explicado, claro que foi a chuva. (Nossa vez de agir com cinismo). O que não podemos é votar com descaso. (Aí é ignorância)
Fatos como esse não podem se repetir e a justiça mais do que nunca precisa ser cega, para não olhar para os bolsos antes de julgar e decidir quem é vítima e quem é algoz.



O Clube de Geografia recebeu hoje a visita do presidente da Associação das Vítimas do Bumba, Francisco Carlos (imagem acima), que colaborou bastante para o esclarecimento de vários fatos ocorridos durante a tragédia ainda não resolvida.
Estamos muito gratos pelos esclarecimentos e esperamos colaborar através da conscientização das pessoas, não podemos deixar que as vítimas continuem sendo esquecidas.
Esperamos em breve disponibilizar alguns vídeos no blog, ainda estão em fase de edição. Aguardem!!! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário