Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O comércio e os focos da dengue

O Fato:

Levantamento mostra que 40% do comércio tem foco de dengue

Um levantamento feito pela Vigilância Sanitária de Piracicaba mostra que 40% dos 102 estabelecimentos comerciais visitados pelo órgão apresentaram criadouros do mosquito Aedes Aedypti, que transmite a dengue. O número de casos da doença registrado em Piracicaba até esta segunda-feira (21) é maior do que o número de todos os casos registrados em 2010 inteiro. Em 2011, até o momento, 672 casos de dengue foram computados. No ano passado, foram 650 casos.
Os agentes da vigilância sanitária começaram nesta segunda a percorrer os estabelecimentos comerciais do centro da cidade para orientar os comerciantes sobre os criadouros. O coordenador do Plano de Combate à Dengue, André Luis Rossetto, explicou que os últimos casos de 2010 foram registrados em julho, fato que não se repetiu em 2011, quando houve casos em outuro.

"Isso é preocupante. Anos atrás os casos de dengue cessavam em junho ou julho. De algum tempo pra cá, os casos não estão parando nesses meses e estão se estendendo até o final do ano", disse Gláucia Elisa Perecin, que faz parte do Grupo de Vigilância Epidemiológica em Piracicaba.
Rossetto disse que no comércio há vários estabelecimentos onde os comerciantes deixam caixas de sapatos nos fundos da loja, que acumulam água. "Alguns comerciantes fazem reformas e deixam o material nos fundos das lojas que podem acumular água, outros que não limpam as lajes e marquises", completou.
A Secretaria de Saúde está intensificando as ações de combate ao mosquito, por meio de arrastões, visitas às casas, distribuição de panfletos e cartazes, entre outros. "São ações tão simples que acabam são deixadas de lado. Acho que por ser tão simples o pessoal acaba relaxando e deixando passar", concluiu o coordenador.
Fonte: EPTV.com


A Opinião:


Muito se fala que para prevenir a dengue são necessárias apenas atitudes simples. Mas é fundamental que essas atitudes simples sejam coordenadas, tenham dias para acontecer.
Sabe-se que não adianta nada uma pessoa agir se o vizinho não faz o mesmo, não adianta as pessoas agirem se os comércios viram focos. Sendo assim, seria fundamental que o governo realizasse mutirões com vários dias e horas marcados para fazer uma varredura completa e acabar com os focos.
É uma covardia transferir a responsabilidade para a sociedade civil. É simples? Sim, mas alguém precisa fazer e nos manter alertas durante todo o ano e não apenas no verão.
Não adianta gastar rios de dinheiro com propaganda de prevenção a dengue e deixar cada um por si.

 

Um comentário: