Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Duplo atentado no Iraque



O Fato:

ONU condena onda de "atrozes" atentados no Iraque

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou nesta segunda-feira com firmeza a onda de atentados que deixou pelo menos 62 mortos e 251 feridos em diversas cidades do Iraque, naquele que já é considerado o dia mais sangrento que o país árabe viveu nas últimas semanas.

"O secretário-geral condena energicamente a onda de ataques a bomba cometidos nesta segunda-feira em diversas cidades do Iraque. São atos particularmente atrozes por ocorrerem durante o mês sagrado do Ramadã", assinalou o porta-voz de Ban, Martin Nesirky, em comunicado divulgado na sede da ONU em Nova York.
A liderança máxima da ONU pediu ao povo do Iraque a "rejeitar essas tentativas de incitação a mais violência no país" e recomendou a "todos os líderes políticos iraquianos que continuem trabalhando unidos para conseguir a paz através do diálogo e da reconciliação nacional".
Ban transmitiu também suas "mais sinceras condolências" às famílias das vítimas e desejou uma "rápida recuperação" aos feridos durante a jornada mais sangrenta no Iraque desde 29 de março, quando 65 pessoas morreram em uma ofensiva na cidade de Tikrit, ao noroeste de Bagdá.
A onda de atentados desta segunda-feira ocorreu em diversas cidades do Iraque, mas o mais grave aconteceu em um mercado de Kut, ao sudeste de Bagdá, onde uma bomba e um carro-bomba explodiram e causaram a morte de 34 pessoas, informaram à Agência Efe fontes do Ministério do Interior do Iraque.
Além disso, 65 iraquianos, entre eles mulheres e crianças, ficaram feridos em consequência das explosões.
Entre os demais atentados, destacaram-se também vários ocorridos na província de Diyala, ao nordeste de Bagdá, onde 13 pessoas morreram e 33 ficaram feridas em uma série de ataques que ocorreram em diversos povoados.
Além disso, entre outros, ao sul de Bagdá, nove policiais morreram e outras 99 pessoas ficaram feridas em três atentados nas cidades de Najaf e Karbala, consideradas santuários para os xiitas, que obrigaram as autoridades da região a decretar o toque de recolher. 

 

A Opinião: 

Mais um atentado, milhares de inocentes morrendo pela ideologia ou mesmo pela ganância de alguns. A invasão dos Estados Unidos ao território iraquiano mostrou-se até agora sem nenhum propósito. 

Afinal, se queriam petróleo, não conseguiram ainda e se o objetivo era pacificar a região está aí a resposta. Fica então a questão: Pra que manter as tropas lá? Por que não respeitar a soberania do Iraque e buscar uma solução através das vias diplomáticas?

É fundamental que o mundo busque logo fontes alternativas de energia para amenizar pelo menos três problemas de uma só vez:

1- Diminuiria a emissão de gases estufa.

2- Poderia baratear o custo da energia e evitar o esgotamento das jazidas petrolíferas

3- Diminuiria as guerras por petróleo.

 

O Debate:

Você acha útil a ocupação das tropas no Iraque?


Nenhum comentário:

Postar um comentário