Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Os jovens e os refrigerantes


O Fato:


Refrigerante pode ser causa de comportamento agressivo em jovens

Um estudo estadunidense publicado nesta segunda-feira na revista "Injury Prevetion" concluiu que o uso abusivo do refrigerante está relacionado com o comportamento violento em jovens. De acordo com a pesquisa, a bebida pode aumentar em 15% a chance de conduta agressiva.
Foram observados adolescentes que bebem mais de cinco latas por semana de refrigerantes não-dietéticos. Estes, devido ao perfil de consumo estariam mais propensos à atitudes violentas, como portar armas e cometer agressões. A pesquisa foi realiza com 1.878 adolescentes, com idades entre 14 e 18 anos, por 22 escolas públicas de Boston.
Os jovens foram divididos com perfis de consumos diferentes. Aqueles classificados como baixo consumo e alto consumo, de acordo com o número de latas de refrigerante consumidas por semana. Do total, um terço ficou dentro da última categoria.
A pesquisa também realizou entrevistas a respeito do comportamento dos adolescentes com parentes e amigos. Porém, o perfil individual do consumir também pode afetar nos resultados da pesquisa, como gênero, consumo de tabaco, álcool e padrão de sono.
"Pode haver uma relação direta causa-efeito, talvez devido ao conteúdo de açúcar ou cafeína nessas bebidas, ou pode haver outros fatores, não analisados ainda, que relacionem alto consumo de refrigerantes a agressão", aponta o estudo.

Fonte: sidneyrezende.com


A Opinião:
Chegou o século XXI e, o que era muito difícil de ser entendido, está quase indecifrável: O comportamento dos adolescentes.
Para entender melhor é fundamental compreender alguns aspectos que mudaram a rotina da sociedade. Vamos a alguns e estamos abertos a sugestões nos comentários:
1- A alimentação mudou, passamos a consumir mais produtos industrializados e semi-prontos, repletos de cafeína, açúcar, sódio e os aromatizantes para dar cor e sabor. Deixando de lado alimentos naturais, logicamente mais saudáveis. A indústria alimentícia literalmente se alimenta da nossa fome por novidades e total desprezo pelo conhecimento. É gostoso? Então não importa se faz mal.
2- As famílias estão ficando reduzidas, muitos são filhos únicos, outros possuem apenas um irmão. Dessa forma, surge uma geração que "não convive" com irmãos, primos, amigos, enfim...precisam suprir essa carência com bens materiais que não aceitam dividir, simplesmente porque não sabem.
3- A tecnologia ampliou o conforto e o sedentarismo. Para que sair se tudo chega nas suas mãos? Criamos uma geração mal acostumada. 
4- As ideias difundidas por novas e "geniais" pesquisas, que praticamente proíbem as crianças de sofrer. E ai daqueles que causarem sofrimento. Banalizamos a hiperatividade e o déficit de atenção, além de amplificarmos os efeitos nocivos das gozações dos colegas sob o nome de bullying. Tudo traumatiza, tudo faz mal, compreenda as crianças, são apenas fases que não podem ser puladas ou mesmo interrompidas. Cada um aprende ao seu ritmo. Enfim, temos uma sociedade em formação que não é capaz de assumir os próprios erros. É como se a parte mais forte do corpo nesse século fosse o dedo indicador.
5- A terceirização da educação é grave também. Para que estar do lado do filho e ensinar coisas novas? Deixe com os DVDs "Xuxa só para baixinhos". Os responsáveis dizem: "É ótimo, meu filho já sabe todas as letras e dança todas as músicas". Se colocarmos na ponta do lápis, muitas crianças passam mais tempo na frente da televisão e de outros aparelhos eletrônicos do que com os pais. Quando crescem um pouco chega a hora de fazer natação, balé, inglês, futebol, música e depois dessa maratona toda...terapia. 
Enfim, acredito que difícil não é entender o comportamento adolescente, mas sim o dos adultos, que se fazem de cegos deixando tudo acontecer diante dos seus olhos e ainda dizem não saber mais o que fazer. A culpa é do refrigerante....pronto! Tão simples! #Ironiamodeon

Nenhum comentário:

Postar um comentário