Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Cartão de débito



O Fato:


Turistas gastam US$ 1,3 bilhão com bandeira Visa no exterior 

Os gastos dos turistas brasileiros em compras no exterior superaram as despesas com hospedagem e somaram US$ 1,3 bilhão apenas com cartões da bandeira Visa no ano passado, um crescimento de 73% em relação a 2009.
Os segmentos com maior crescimento foram lojas de eletrônicos, alta de 90% e gastos de US$ 307 milhões, lojas de departamentos, com elevação de 78%, para R$ 290 milhões, e lojas de material esportivo, acréscimo de 69%. Os gastos com hospedagem atingiram US$ 565 milhões, alta de 53%, segundo pesquisa "Perspectivas do Turismo: Brasil".
Ao todo, os brasileiros gastaram no exterior um volume de US$ 4,8 bilhões em cartões da Visa em 2010, 58% a mais do que no ano anterior. Os Estados Unidos foram o destino preferido dos brasileiros, onde os turistas gastaram US$ 1,9 bilhão, um crescimento de 63%. A Argentina aparece em segundo lugar, com US$ 410 milhões, um crescimento de 109% em relação ao volume de 2009. Em seguida aparecem França (US$ 289 milhões), Paraguai (US$ 217 milhões) e Itália (US$ 207 milhões).
Os estrangeiros, por sua vez, gastaram no Brasil 12% a mais no ano passado, comparativamente a 2009: ao todo, US$ 2,1 bilhões em cartões da Visa. Mais da metade desse valor (US$ 1,2 bilhão) foi gasto no Rio de Janeiro e em São Paulo. No ano passado, as despesas dos estrangeiros em hospedagem somaram US$ 282 milhões, um crescimento de 24% em relação a 2009.
Também se destacaram os gastos com varejo (US$ 256 milhões, alta de 5%) e restaurantes (US$ 137 milhões, alta de 20%).
Entre os estrangeiros, os que mais gastaram no Brasil foram os americanos, com US$ 480 milhões, um crescimento de 5%, seguidos pelos franceses, com US$ 165 milhões, britânicos, com US$ 152 milhões, portugueses, com US$ 129 milhões, e italianos, com US$ 126 milhões. Na sexta posição, aparecem os angolanos, que gastaram US$ 113 milhões, alta de 94% em relação a 2009.
De acordo com a presidente do Conselho de Turismo e Negócios da Fecomércio-SP, Janine Pires, o estudo evidencia as diferenças. "A viagem do brasileiro ainda é vinculada ao consumo de bens, beneficiado pelo câmbio favorável. Já o estrangeiro tem seu gasto muito ligado a restaurantes, hotéis e bens culturais."
Para Janine, o estudo mostra a necessidade de desenvolver programas para aumentar os gastos dos estrangeiros no Brasil. "Vendemos muito pouco para os estrangeiros, que possuem pouca informação e conteúdo sobre o que fazer aqui", afirmou.

Fonte: Dci

A Opinião:

As trocas comerciais estão cada vez mais complexas ao mesmo tempo em que surgem cada vez mais facilidades para comprar. O que parece um paradoxo nada mais é do que o capitalismo conseguindo meios de ampliar os gastos e a maleabilidade da moeda.

A cada ano que passa é possível ver o crescimento do uso dos cartões, tanto o de crédito, quanto o de débito, passando pelo vale transporte eletrônico e até mesmo pelo cartão telefônico. Tudo é dinheiro, as funções são as mesmas, ou seja, oferecer crédito aqueles que estão sem papel moeda ou níqueis no momento.

No começo as pessoas tinham vergonha de pagar pequenas compras com o cartão de débito, agora vejo pessoas comprando até mesmo doces, gastando menos de um real e usando o cartão de débito. Será mesmo mais prático e mais seguro. 

O fato é que existem coisas que não voltam atrás, uma delas é o cartão de débito, cada vez mais utilizado. Não acredito no fim do dinheiro em papel moeda, dos níqueis e nem mesmo dos cheques. Acredito sim que no futuro surgirão ainda novas formas de oferecer crédito. 

E vamos as compras

Nenhum comentário:

Postar um comentário