Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Pesquisa em saúde


O Fato:

Ministro anuncia R$ 1,5 bilhão em quatro anos para pesquisa em saúde

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou nesta quinta-feira (8/9), durante encontro com pesquisadores, o investimento de R$ 1,5 bilhão nos próximos quatro anos na área de pesquisa e produção tecnológica no Brasil. Segundo ele, o Ministério da Saúde investirá em novos tratamentos, medicamentos e vacinas para a população.
“Talvez o Brasil seja o único país do mundo que, no meio de uma crise internacional, ousa fazer um anúncio de investimento tão potente. O orçamento é quatro vezes maior do que o aplicado nos últimos oito anos de pesquisa de inovação tecnológica”, afirmou Padilha.
De acordo com informações do Ministério da Saúde, os recursos, que foram remanejados dentro do orçamento da pasta, serão aplicados em ações definidas no Plano Plurianual 2012-2015. Objetivo, segundo o governo, é alinhar a pesquisa nacional às necessidades da saúde do país.
“A principal causa de mortalidade no nosso país hoje são as doenças cardiovasculares. Que as universidades possam descobrir tratamentos, programas para reduzir mortalidade de doenças como hipertensão e diabetes”, exemplificou o ministro. Segundo ele, investimento para produção de vacina contra a dengue também está entre as prioridades.
Padilha disse que os recursos também servirão para avaliar as políticas públicas implantadas. “Veremos se as nossas iniciativas estão corretas. Por exemplo, lançamos o programa academia da saúde. Onde foi colocada, nossos estudos mostram que ela colabora para reduzir em 50% o uso de antiflamatórios na população. Poderemos avaliar se esse é um resultado que acontece no país inteiro.”
 
Fonte: Portal G1 

A Breve Opinião:

Investir em pesquisas é muito bom, principalmente nas que vão trazer inovações na prevenção de problemas de saúde. Sabe-se que prevenir é melhor do que remediar. Ponto positivo para o governo, mas ainda é pouco, precisamos de cada vez mais.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário