Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

sábado, 3 de setembro de 2011

Controle da mídia


O Fato:

Cúpula do PT defende controle da mídia

O comando do PT elaborou documento em que ataca a imprensa e defende o controle da mídia no Brasil.
No texto, apresentado na quinta-feira à Executiva Nacional como proposta de resolução para o 4º Congresso do partido, o PT defende o fim da propriedade cruzada em veículos de comunicação, a “democratização” da mídia e a “quebra do monopólio”.Apesar disso, o partido sustenta que é contra qualquer tipo de censura.
A Folha apurou que o governo tende a encampar o veto à propriedade cruzada de meios de comunicação. A ideia seria acionar o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) para obrigar grupos que têm várias plataformas a se desfazer de parte das concessões.
A resolução preliminar diz que a falta de um marco regulatório e a concentração do domínio midiático “tolhem a democracia”, “silenciam” e “marginalizam”, “criando um clima de imposição de uma versão única no país”.
Em tom bem mais agressivo do que o do 3º Congresso, de 2007, o texto condena “certos veículos que flertam com mecanismos ilegais”.
O partido afirma que, após participar de “conspiração que tentou derrubar, sem êxito, o PT e Lula”, setores da mídia lideram agora “campanha pela faxina” no governo.
Falcão – O presidente nacional do PT, Rui Falcão, que está condensando o texto, lembrou em entrevista que o ex-ministro Franklin Martins (Comunicação Social) já apresentou proposta semelhante no governo Lula.
O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo (PT-PR), que participará do encontro, disse à Folha que essa não é a pauta do governo:
“É insensato. Lutamos para escrever na Constituição que não pode haver controle prévio e censura”.
Segundo Bernardo, a Lei Geral de Telecomunicações, em discussão no ministério, regula a concessão de emissoras de rádio e TV, mas não de jornais, revistas e internet.
O secretário de Comunicação do PT, André Vargas (PR), porém, diz que o partido não vai se curvar ao governo. Para ele, “a sociedade pode resolver constituir um conselho” para controlar a mídia impressa e a internet.Com 109 pontos, o documento busca proteger a imagem do ex-presidente Lula e minimiza a ideia de que Dilma é mais rigorosa no combate à corrupção.
“Nunca antes na história deste país a corrupção foi combatida com tanta profundidade, sem protecionismos partidários, como nos governos Lula e Dilma”, afirma o documento.
O texto aponta a luta contra a corrupção como “compromisso inarredável do PT e do governo” e diz que a oposição não tem credibilidade para pregar uma “faxina”.

Fonte: Folha de São Paulo
video

O Debate:

De fato os brasileiros não querem direitos e sim privilégios. A discussão sobre o controle da imprensa é válida sim, mas me pergunto, porque não controlar a imprensa durante o tempo em que estiveram favoráveis ao governo? Porque durante a campanha política o PT podia ter muito mais tempo que os outros no horário eleitoral gratuito? Engraçado como todo debate no Brasil só ocorre de acordo com a conveniência do grupo que está no poder

Querem controlar a mídia? É simples, basta investir muito em educação e o próprio povo trata de filtrar as informações. Escolher a pauta é uma forma de tolher a liberdade de imprensa e daí para a censura é um pulo.

Se a mídia está exagerando, basta permitir ao povo realizar esse julgamento e principalmente, prepará-lo para tal. A atitude do PT é a de quem já foi pedra e agora é vidraça. Que o povo decida o que assistir e quando assistir, o filtro precisa ser individual e não partir de quem controla o governo no momento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário