Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Feriado nos dias dos jogos da Copa de 2014


O Fato:

Presidente da Câmara defende feriados em dias de jogos da Copa

O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), defendeu nesta terça-feira (20) a decisão do governo federal de incluir na Lei Geral da Copa a autorização para que União, estados e municípios possam decretar feriados em dias de jogos da Copa do Mundo de 2014. “Feriado sempre é bom”, disse, em tom de brincadeira, ao ser indagado sobre o assunto.

“Todos nós precisamos ajudar. A proposta de ter feriado no dia dos jogos da Copa do Mundo me parece interessante porque vão ser dias de mobilização, de participação ativa da população. Eu não vejo problema nisso”, disse Maia.
Nesta segunda (19), a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, chegou a sugerir que, caso algumas obras de infraestrutura não fiquem prontas a tempo para a Copa, a decretação de feriado seria uma alternativa para se evitar congestionamentos e facilitar a mobilidade urbana nas cidades-sede.
Marco Maia também rebateu as críticas do deputado Romário (PSB-RJ), que disse considerar “péssimo” feriado em dias da Copa.
“Eu vi uma declaração do deputado Romário falando sobre este tema. Acho que estamos confundindo alhos com bugalhos nesse tema. Uma coisa é a realização das obras e das ações para a Copa do Mundo (...) outra coisa são as regras que vão regular o funcionamento do país durante os eventos”, afirmou Maia.
“Não vejo problema e não acho que isso [feriados em dias de jogos] tenha a ver com a fiscalização e com o trabalho que está sendo realizado para que todas as obras estejam prontas”, declarou o presidente da Câmara.
 
Fonte: Portal G1

Romário critica feriado e promete agir para baratear ingresso da Copa do Mundo

A Lei Geral da Copa do Mundo de 2014, que tramita no Congresso Nacional, “tem vantagens, mas peca em várias coisas”. É essa a avaliação de Romário, ex-jogador e deputado federal (PSB-RJ), que classificou como "péssima" a iniciativa de marcar feriados para dias de jogos do Brasil no Mundial, uma das possibilidades abertas pela norma.
O deputado afirmou, também, que apresentará emendas à Lei Geral da Copa em relação aos preços dos ingressos, hoje a cargo da Fifa, e de acessibilidade para deficientes. “A Copa vai ser no Brasil, mas não será para os brasileiros. Os brasileiros das classes C, D e E, que até morrem pelos seus clubes, não vão ter oportunidade, de ver os jogos com o ingresso mais barato custando R$ 120”.
Para o deputado, ingressos acima de R$ 100, problemas de acessibilidade para deficientes e falta de infreaestrutura marcarão a Copa no Brasil. “Na primeira visita que fiz a uma sede, já retirei a frase de que faríamos a ‘melhor Copa de todos os tempos’. Vamos ter muito problema, especialmente em mobilidade urbana".
Romário, cogitado para disputar a prefeitura do Rio de Janeiro em 2012, criticou o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes, ambos do PMDB, em relação aos problemas nas obras do Maracanã. “Votei neles, independentemente do partido. São grandes administradores, mas o que está acontecendo no Maracanã é realmente uma coisa absurda”, afirmou. “Não se pode gastar R$ 1 bilhão na reforma de um estádio. Aí, você vai para os hospitais e para as escolas públicas e faltam tantas coisas, que eu poderia ficar até a noite dizendo”.
Sem detalhar, o melhor jogador do mundo em 1994 também criticou Cuiabá (MT), Manaus (AM) e Brasília (DF) como sedes da Copa. “Os gastos no Maracanã são desnecessários, e eu lamento esse desperdício de dinheiro público. Já é a quarta ou quinta reforma, e com certeza haverá outras depois da Copa.

Fonte: Uol
 
A Opinião:

Quando o Brasil conquistou o direito de sediar a Copa de 2014, o povo vibrou, se encheu de esperança, mas no final os brasileiros podem acabar frustrados.
A notícia de feriados em dias de jogos alegrou a muitas pessoas, que não perceberam que se trata apenas de uma maquiagem para os problemas de infraestrutura do país, ou seja, vamos perder a oportunidade de investir na mobilidade urbana e deixar um legado para a população brasileira no futuro.
Além disso, a Fifa é quem vai definir o preço dos ingressos e a notícia até o momento é que o ingresso mais barato vai custar 120 reais, ou seja, a Copa do Mundo será realizada no Brasil, mas não será para os brasileiros.
Pensem, por exemplo, em quanto uma família pequena, composta por mãe, pai e um filho gastaria para poder assistir a um jogo da copa?
O transporte público não é dos mais baratos, teriam que gastar para ir e voltar, ainda que a família vá de carro, imagine o preço dos estacionamentos ao redor dos estádios.
Além disso, normalmente em uma saída como essa, as pessoas costumam lanchar, gastando assim mais dinheiro, isso sem contar o valor dos ingressos. Assim, não seria um exagero dizer que para essa família assistir a um jogo da Copa do Mundo, teriam que desenbolsar pelo menos um salário mínimo.
Que a população abra o olho e comece a pressionar agora, para que tenhamos preços justos para os ingressos e que as obras caríssimas ao menos deixem um legado para o futuro do Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário