Google+ Seguidores

Leitura sem fronteiras - Tradutor

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Custo X Benefício dos deputados


Os Fatos:

No fim de 2010:

Aumento de salário a deputados pode custar R$ 1,8 bi a municípios, diz CNM

O reajuste de 61,8% no salário de deputados, senadores, ministros e presidente e vice-presidente da República, aprovado na tarde desta quarta-feira (15/12/2010) na Câmara dos Deputados e no Senado vai provocar um impacto de R$ 1,8 bilhão nas contas dos municípios na próxima legisatura, segundo cálculo da Confederação Nacional dos Municípios (CNM).
O número leva em consideração o efeito cascata do reajuste. De acordo com a Constituição, os deputados estaduais podem receber até 75% do salário dos deputados federais. No caso dos vereadores, os salários podem variar de 20% a 75% dos vencimentos dos deputados estaduais, dependendo do tamanho do município.
Com o reajuste aprovado, o salário dos parlamentares sobe de R$ 16,5 mil para R$ 26,7 mil. Com isso, os deputados estaduais podem elevar seus salários até R$ 20 mil. O levantamento da CNM mostra que em apenas um estado – Rio Grande do Sul – os salários dos deputados estaduais não atingem o teto constitucional.
Para os vereadores, no entanto, a lei veda a aplicação de reajuste aprovado para a mesma legislatura. A CNM lembra que o impacto de R$ 1,8 bilhão pode ser menor. O número considera que em todos os municípios haja reajuste dos salários dos vereadores pelo teto.

Fonte: Portal G1

Em 2011:

Com CCJ vazia, 2 deputados aprovam 118 projetos em 3 minutos

Em sessão vazia da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados nesta quinta-feira (22/09/2011), dois deputados aprovaram 118 projetos em pouco mais de três minutos. Mais de 30 parlamentares assinaram a lista de presença e foram embora, enquanto textos sobre temas como acordos internacionais, concessão de serviços de radiodifusão e regulamentação da profissão de cabeleireiro eram aprovados pelo terceiro vice-presidente da comissão, César Colnago (PSDB-ES), e por Luiz Couto (PT-PB). No início da reunião, Colnago anunciou: "Havendo número regimental, declaro aberta a reunião ordinária da Comissão de Constituição de Justiça e de Cidadania." As informações são do Jornal Nacional.
"Não havendo quem queria discutir, e em votação, os deputados que forem pela aprovação permaneçam como se encontram. Aprovado", declarou Colnago a cada nova pauta, ao longo de três minutos e 11 segundos. No fim da sessão, ele brincou: "Depois dizem que a oposição não ajuda." A CCJ, comissão mais prestigiada da Câmara, tem 122 deputados entre titulares e suplentes. Pela comissão, passam todas as propostas sobre direitos humanos, garantias fundamentais e organização dos poderes. Colnago disse que 35 deputados assinaram a lista de presença. "A sessão é válida porque está dentro do script do regimento, mas, com certeza, isso não contribui para o debate e, principalmente, para as decisões, muitas vezes importantíssimas, que a CCJ toma", lamentou.

Fonte: Portal Terra

A Opinião:

Os legisladores (senadores, deputados federais, deputados estaduais e vereadores) são eleitos pelo povo e deveriam trabalhar defendendo os interesses dos responsáveis pela sua eleição. 

Bem, se você que está lendo esse texto agora for procurar um novo emprego, deverá estar munido do seu currículo, além disso, será analisado de inúmeras formas: avaliação escrita, oral, dinâmica de grupo, entrevista e outras. A sua forma de vestir e de se comportar diante de inúmeras situações também será avaliada e, caso consiga se enquadrar no perfil da empresa, terá o seu tão desejado emprego.

Mas calma, porque você vai precisar providenciar os seus documentos comprovando assim estar em dia com as obrigações eleitorais, militares (no caso dos homens) além de provar que as informações que constam no seu currículo são verdadeiras.

Uma vez empregado, precisa melhorar a cada dia para não se tornar desnecessário dentro da empresa, toda empresa quer empregados comprometidos, pontuais, assíduos e eficientes. Os patrões não querem ter problemas, se te contrataram é porque querem soluções.

Bem, somos nós que elegemos os nossos legisladores, ou seja, em teoria "contratamos" os funcionários que acreditamos serem capazes de fazer a "empresa" chamada Brasil crescer a cada minuto.

O problema é que quando "contratamos" não analisamos o currículo dos candidatos a vaga. Não temos ideia de como se comportam diante de diversas situações, até porque no período eleitoral os candidatos colocam, de maneira hermética, uma máscara gigantesca.

As promessas surgem e não pedimos para analisar a documentação e saber se são capazes de cumprir tais promessas. E o mais revoltante é ver que são os funcionários que aumentam os próprios salários.

Talvez seja por isso que vemos tantas greves, mas nunca vimos políticos em greve. Apenas ouvimos quando nos chamam de vândalos, de vagabundos ou mesmo de desnecessários. 

Em uma sessão ter apenas 2 deputados trabalhando, mostra a total falta de compromisso de grande parte dessa classe.

Generalizar é um erro, por isso peço para os que são honestos e trabalhadores que lutem bravamente para fazer uma faxina no congresso nacional. Não joguem os políticos que não prestam fora, vamos aproveitar e usá-los como adubo para que assim a democracia brasileira passe a funcionar de fato. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário